Publicidade

Correio Braziliense

Criança baleada em Santa Maria continua em estado grave na UTI

Enquanto a criança tenta se recuperar, moradores pedem mais segurança e temem novas ocorrências na região


postado em 14/02/2018 15:41 / atualizado em 14/02/2018 20:04

(foto: Fernando Lopes/CB/D.A. Press)
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A. Press)
 
A menina Sther Laís Barbosa, 3 anos, baleada na cabeça no sábado (11/2), continua em estado grave e respira com ajuda de aparelhos. Ela está em coma induzido, internada na UTI pediátrica do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Ainda não se sabe se haverá sequelas, já que, durante a cirurgia para a remoção da bala alojada no lado esquerdo da testa, foi constatado perda de massa encefálica. 

Após avaliação dos médicos, uma cirurgia para retirada dos fragmentos da bala não foi feita já que, apesar do quadro ser estável, não houve melhoras. "A equipe médica trocou os medicamentos e faz exames constantes, tomografias. Os pais estão desolados, a gente não pode nem abraçar, encostar nela. Só esperar e orar", relatou a tia Monique Sandreia de Jesus. 

A menina andava de bicicleta no sábado (11), em frente à casa das tias, na Quadra 206 de Santa Maria, quando foi atingida. Familiares contam que no momento dos disparos, a mãe de Sther estava na varanda, tentando falar com as irmãs. "Ela queria que a gente voltasse logo para casa, para nos encontrarmos. Foi quando ela ouviu a confusão e saiu correndo e gritando pela filha. Quando viu a neném caída, entrou em choque. Os vizinhos ajudaram a socorrê-la", detalhou Monique. A criança foi levada ao Hospital Regional de Santa Maria e, posteriormente, transferida ao HBDF, onde foi realizada a cirurgia. 

Moradores relataram que desde a manhã daquele dia, carros entravam e saiam da rua, de maneira suspeita. Por volta das 18h30, uma perseguição entre rivais tomou o local.  Houve troca de tiros e correria das pessoas que tentavam se proteger. Testemunhas disseram à PMDF que o homem que atirou em Sther estava dentro de um Gol branco. 

Um suspeito chegou a ser identificado e preso pela polícia, mas como a arma do crime nem o carro foram encontrados, ele foi liberado. Segundo a PMDF, um laudo pericial ainda vai apontar se havia ou não resquício de pólvora na mão do homem, que tem várias passagens pela polícia, incluindo pelo crime de homicídio. O caso é investigado pela 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria). 

Enquanto a pequena  Sther tenta se recuperar, o medo domina o sentimento de quem vive na região. "Somos vítima da violência, de uma guerra entre gangues e chefes de droga. É horrível, precisamos de mais segurança", pediu o morador, que preferiu não se identificar. Somente de janeiro a novembro de 2017, a Secretaria de Segurança Pública registrou em Santa Maria 34 homicídios, 50 tentativas de homicídio, além de 93 casos de tráfico de drogas e 95 de porte ilegal de armas.

 
Memória

Em 2016, um caso semelhante vitimou uma criança de seis anos. A menina foi baleada na cabeça,  na praça da quadra 116 do Recanto das Emas, enquanto brincava com o irmão, de 10 anos, e uma amiga, de 8. Um rapaz chegou ao local disparando contra outros homens, mas só a criança foi atingida. Ela chegou a ser socorrida pelo Samu e encaminhada ao IHBDF, mas não resistiu aos ferimentos. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade