Publicidade

Correio Braziliense

Desvio no Eixão será liberado para carros e pedestres na quinta-feira

O governador Rodrigo Rollemberg diz que a missão agora é recuperar o viaduto do Eixão. Ele ainda aproveita para criticar as gestões passadas


postado em 14/02/2018 17:37 / atualizado em 14/02/2018 18:29

Parte do viaduto do Eixão Sul desabou na terça-feira (6/2)(foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
Parte do viaduto do Eixão Sul desabou na terça-feira (6/2) (foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) assegurou que, nesta quinta-feira (15/2), o desvio do viaduto do Eixão será liberado para passagem de carros e pedestres. Parte da estrutura, sobre a Galeria dos Estados, desabou em 6 de fevereiro. O governo não definiu se vai demolir o viaduto por completo ou se vai reconstruir só o trecho que caiu.

Rollemberg afirmou, em vistoria à obra, na tarde desta quarta-feira, que a atual fase é de análise do material e que, só depois de saber se as lajes serão reaproveitadas, o custo da obra será estipulado. “O que eu posso garantir para a população de Brasília é que não faltarão recursos para que possamos recuperar definitivamente e adequadamente esse viaduto”, acrescentou.

Quando questionado acerca do incômodo da população sobre outros possíveis locais de risco, o governador diz que o GDF está vistoriando todas as pontes e os viadutos e vai fazer  as obras de manutenção e reforço estrutural que forem necessárias. Rollemberg, entretanto, diz não ter previsão de tempo para demolir e construir outro viaduto no Eixão, se necessário. Ele só complementa que “o governo vai trabalhar com mesmo afinco para que, muito em breve, a população possa ter acesso ao viaduto com segurança e de forma adequada”. 
 
 

O chefe do Executivo local alerta às pessoas que tiveram o carro danificado para procurarem o governo, já que, segundo ele, a ideia é abrir um diálogo. Além disso, outra promessa é “conversar com os empresários da Galeria dos Estados para tentar minimizar os prejuízos após a queda”.

Problema antigo


Como anteriormente já fez, Rollemberg criticou os antigos governos. Para ele, a atual gestão não foi omissa em relação à manutenção do viaduto. “Neste viaduto, vemos omissão de vários governos e uma inversão de prioridades. Governos gastaram quase R$ 2 bilhões para construir um estádio utilizado pouquíssimas vezes ao ano e não tiveram a capacidade de fazer a manutenção de um viaduto. Nosso governo tem priorizado a manutenção dos viadutos, como o da Rodoviária. Vamos trabalhar para que todas essas pontes e esses viadutos possam ser definitivamente recuperados”, destaca.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade