Publicidade

Correio Braziliense

Mesmo com risco de movimentação de terra, EPGU deve ser liberada hoje

Poucos dias após o desabamento do viaduto da Galeria dos Estados, DER-DF interdita uma das faixas da EPGU, que tem risco de desmoronamento


postado em 15/02/2018 06:00 / atualizado em 15/02/2018 05:56

Trecho da EPGU em que técnicos detectaram
Trecho da EPGU em que técnicos detectaram "risco de movimentação de terra" fica entre o balão de acesso ao Guará 2 e o Park Shopping (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

 

Suspeitas de desmoronamento levaram à interdição de uma das três faixas da Estrada Parque Guará (EPGU), na altura do Parque Ezechias Heringer, perto do Park Shopping, no sentido Plano Piloto. Trecho liga o Guará 2 à L4 Sul, passando pelo Jardim Zoológico de Brasília. Técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) detectaram o problema na terça-feira, e o órgão fechou o trecho de 200 metros ontem de manhã.

O incidente aconteceu uma semana após parte de um viaduto no Eixão Sul desabar sobre a Galeria dos Estados. Os desvios do trecho interditado desde a queda vão ser liberados hoje ao trânsito de veículos. Eles vão permitir a ligação da via expressa ao Buraco do Tatu e à Rodoviária do Plano Piloto. Mas é incerto o destino da parte danificada (leia matéria ao lado).

“Deslocamento”

Os servidores do DER-DF constataram a necessidade de interditar uma faixa da EPGU por haver “risco de movimentação de terra”, segundo nota enviada pelo DER-DF. O departamento destacou, ainda, que em parceria com a Defesa Civil, foram feitos sobrevoos e verificado deslocamento de terra na lateral da pista. “Para diminuir a sobrecarga na via e os riscos de agravar a situação, a pista da direita ficará interditada até que seja dada uma solução ao problema”, informou o texto oficial.

O presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Júlio Menegotto, afirmou que uma erosão de longos anos avançou para a parte da via e o reparo será feito hoje. Segundo ele, um produto vai ser aplicado na fissura do asfalto, que será selado para evitar que entre água da chuva. A previsão é de que a pista seja liberada até o fim do dia.

O trecho fica numa área de preservação ambiental. Por isso, precisa de autorização para que as máquinas trabalhem para recuperá-lo. O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) informou que, por ser emergencial, o serviço foi autorizado. 

Tempo perdido

Morador do Guará, Emanuel Teixeira, 52 anos, passa pela EPGU todos os dias para chegar ao trabalho, no Setor de Clubes Sul. “Qualquer pessoa poderia prever isso. Dava para notar que a cerca que divide a pista e a reserva estava afundando”, comentou o jardineiro. Ele teme ser prejudicado. “Esse é um trecho muito movimentado. Em horários de pico, com todas as faixas liberadas, já fiquei muito tempo parado.”

De acordo com o Detran-DF, uma alternativa nos horários de pico é mudar a rota e passar pela EPTG ou entrar na QE 44 do Guará 2, para acessar a Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA), na altura da Candangolândia.


Fechamento de trecho e reforma na Ponte JK

A Ponte JK foi interditada na tarde de ontem, no sentido Plano Piloto, após três borrachas de uma junta de dilatação se soltarem (foto) na noite de terça-feira. Durante todo o dia, os motoristas puderam transitar só por uma das faixas. A liberação das outras duas aconteceu após a troca das peças, no fim da tarde. 

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) não informou a causa do incidente, mas descartou qualquer risco para a estrutura. Inaugurada em 2002, a Ponte JK deve passar por reformas até o fim do ano. Presidente da Novacap, Júlio Menegotto disse que o órgão elaborou um projeto de obras para a ponte. “Entre 15 e 30 dias, vamos lançar um edital de licitação.Após isso, esperamos contratar a empresa em até três meses. É a única coisa que falta para iniciarmos as reformas”, disse.
 
Com o desabamento do viaduto do Eixão Sul, em 6 de fevereiro, a Novacap aumentou as ações de fiscalização nas pontes sobre o Lago Paranoá. “Após análises do DER-DF, constatamos que a Ponte do Bragueto está boa, mas precisa de reformas na laje. A Honestino Guimarães tem poucos pontos de infiltração, mas é necessário trocar alguns cabos protendidos. Vamos monitorar diariamente, e qualquer risco que aparecer, vamos tomar as providências”, afirmou Menegotto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade