Publicidade

Correio Braziliense

Acessos ao início do Eixão Sul são abertos. Saiba o que muda no trânsito

Cada desvio terá três faixas de rolamento. A passarela subterrânea da Galeria dos Estados também liberada nesta manhã


postado em 15/02/2018 06:00 / atualizado em 15/02/2018 09:15

Motoristas já podem acessar as alças que circundam a área em que viaduto desabou(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Motoristas já podem acessar as alças que circundam a área em que viaduto desabou (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

 

Motoristas já conseguem acessar as duas alças que desviam o trânsito da área onde o viaduto no início do Eixão Sul caiu. Com isso, o tráfego de veículos pode acontecer de forma contínua no Eixo Norte-Sul. O trecho estava interditado havia nove dias, desde que parte do viaduto sobre a Galeria dos Estados desabou, em 6 de fevereiro. A liberação ocorreu por volta das 6h, quando a movimentação de carros começava a aumentar. Por volta das 8h, o fluxo era bom e não havia registro de acidentes na região.

 

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, esteve no local nesta manhã para vistoriar a liberação das vias. A passarela subterrânea do lugar também foi desobstruída. O chefe do Executivo afirma que, agora, serão recolhidos amostras do viaduto para serem analisadas na Universidade de Brasília (UnB). "A partir dessa avaliação, poderemos fazer a recuperação do viaduto", ressalta o governador. Ainda não há valor estimado para as obras na estrutura. O chefe do executivo local diz que o orçamento estará disponível após decidir o destino exato da construção. "Só teremos um valor quando conseguimos identificar o modelo de obra que faremos e se podemos aproveitar alguma parte da estrutura", comenta.

 

 

 

Os desvios inaugurados terão três faixas de rolamento. Um deles liga o Eixinho W à Asa Sul, e o outro, no sentido contrário. A velocidade nas vias será de 40 km/h. A promessa é que de agora o tráfego flua melhor nos locais, principalmente, nos horários de maior movimentação, no início da manhã ou noite. Ainda não há previsão para a conclusão das obras no viaduto. 

Ontem, o governador já havia mencionado a falta de previsão para a conclusão das obras, mas explicou que “o governo vai trabalhar com mesmo afinco para que, muito em breve, a população possa ter acesso ao viaduto com segurança e de forma adequada”. Rollemberg ainda disse que a falta de manutenção foi responsabilidade de governos passados. “O que nós estamos vendo é uma omissão de vários governos e inversão de prioridades.”

Ver galeria . 6 Fotos Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

 

Análise nos laboratórios da UnB

 

Parte do concreto armado e dos cabos de aço protendidos (tensionados dentro da estrutura de concreto) começaram a ser retirados da estrutura ontem e seguiram para laboratórios da UnB onde vão passar por análises. Durante todo o fim de semana e feriado de carnaval, professores da UnB, mestrandos e doutorandos fizeram estudos da patologia da estrutura, com mapeamento do desenho do viaduto.

 

“Será feita a análise da característica do material, a averiguações da corrosão do aço e da resistência dos cordoalhos”, explicou José Humberto Matias de Paula, professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental. Ele reforçou que, paralelamente à pesquisa na UnB, a Novacap vai realizar análises de modelação computacional. “São estudos para verificar o equipamento a ser usado”, comentou.

 

Reparos na EPGU após fissuras no chão

 

Durante a solenidade, Rollemberg comentou a situação da Estrada Parque Guará, que apresentou fissuras nesta quarta-feira (14/2). Segundo ele, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) realizou o isolamento da área e começará a trabalhar na recuperação do local. "Nos próximos dias começaremos a trabalhar na parte de sustentação da EPGU. É um local de difícil acesso, mas queremos que logo ela esteja funcionando", garante. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade