Publicidade

Correio Braziliense

Passeio turístico desvenda a história do Setor Comercial Sul

O walking tour passa por edifícios históricos, locais culturais e também por projetos iniciados no momento de ocupação


postado em 23/02/2018 06:00

Os
Os "edifícios gêmeos" Morro Vermelho e Camargo Corrêa abrem o passeio no SCS (foto: Guilherme Capanema/Divulgação)
O Setor Comercial Sul vive tempos de revitalização. O espaço, que antes era visto apenas como ponto de criminalidade, prostituição e tráfico de drogas, passou por mudanças após ações de coletivos que decidiram ocupar o local com festas, feiras, eventos e atividades culturais.

Durante o carnaval, a região ganhou o apelido de “Setor Carnavalesco Sul e agora também pretende se tornar um setor turístico. Por iniciativa de Caio Dutra, do Coletivo Labirinto, e de Guilherme Capanema, estudante de turismo da Universidade de Brasília (UnB), a dupla criou o walking tour do Setor Comercial Sul. O conceito, que tem feito bastante sucesso na área de turismo, se trata de um passeio que permite imersão na cultura local durante a visita de atrativos culturais, naturais e históricos, normalmente feito a pé.

O projeto no Setor Comercial Sul consiste em um passeio pela região, com objetivo de fortalecer os vínculos das movimentações que já acontecem no local, passagem por edifícios históricos, locais culturais e também por projetos iniciados no momento de ocupação. A primeira edição do walking tour ocorreu em janeiro e foi uma espécie de teste. “Foi um protótipo, fizemos com a ideia de coletar feedbacks para desenvolver melhor e ter mais ideias de como poderíamos trabalhar a região durante a visita”, explica Capanema.

Marcos

O primeiro walking tour teve a Estação Galeria, do Metrô, como ponto de encontro. Mas, devido ao desabamento de parte do viaduto da Galeria dos Estados, que era um dos pontos do projeto, o tour passará por uma mudança na segunda edição, começando na Quadra 1 do Setor Comercial Sul, onde estão localizados os edifícios Morro Vermelho e Camargo Corrêa. Apelidados de “edifícios gêmeos”, ambos possuem 16 andares, uma arquitetura contemporânea e foram idealizados pelo renomado arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé, que morreu em 2014. “Começamos ali pelos edifícios, que têm uma história no Setor Comercial Sul e também uma curiosidade. Na cobertura de um dos prédios há dois painéis de azulejos de Athos Bulcão, o que pouca gente sabe. Estamos conversando para que futuramente possamos incluir isso na visita”, conta Guilherme Capanema.

Depois o passeio segue pelos becos do SCS, que hoje são tomados por grafites produzidos por artistas de rua de Brasília, como Gurulino, Luna, Lee e Yong, e há paradas na Casa de Cultura da América Latina (CAL) e no Museu dos Correios. “Passamos também pelas praças do Setor Comercial Sul, como a Praça do Povo, a Praça Central e Praça dos Artistas”, antecipa. O passeio se encerra com o samba que é realizado às sextas na Quadra 5 do SCS.

A segunda edição do passeio turístico será hoje, a partir das 16h15. Para participar basta se inscrever no site scstour.blogspot.com.br. O walking tour não tem um preço estabelecido, mas é possível dar uma contribuição ao projeto. “A contribuição é livre. Estamos aderindo esse formato de que a pessoa pode pagar quanto achar que valeu o passeio”, completa o idealizador.

A próxima edição está prevista para 30 de março. A ideia é que o walking tour seja realizado uma vez por mês, sempre na última sexta-feira. “Futuramente, o planejamento é de que vire quinzenal, porque estamos começando a fechar algumas parcerias”, adianta.

200 mil
Quantidade de pessoas que passam por dia na região

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade