Publicidade

Correio Braziliense

Em assembleia, policiais civis do DF decidem não repetir paralisação

Categoria promete, no entanto, outros protestos contra o Governo do Distrito Federal. Paralisação durou 72 horas


postado em 26/02/2018 21:00 / atualizado em 26/02/2018 22:21

Os policiais civis do Distrito Federal decidiram, nesta segunda-feira (26/2), que não vão repetir a paralisação encerrada no sábado (24). A decisão foi tomada em assembleia geral em frente ao Palácio do Buriti, convocada pelo Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF).

A categoria cruzou os braços durante 72 horas. Entre quarta-feira (21) e sábado (24), apenas ocorrências de crimes graves foram registradas nas delegacias. Após o início da paralisação, uma ordem judicial foi emitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) determinando o fim da greve. Após tomar conhecimento da decisão, o Sinpol-DF tem até 15 dias para se manifestar, mas representantes do sindicato afirmaram que vão apresentar proposta ainda nesta semana. 

Durante a assembleia, representantes do sindicato afirmaram que uma das estratégias do movimento era que o ato fosse levado ao STF, assim, a diretoria do Sinpol poderia pedir a intermediação do Ministério Público nas negociações com o Governo do Distrito Federal. 

A reunião foi marcada por vaias contra o governador do DF e buzinaços. O Sinpol posicionou uma faixa pedindo aos condutores que não apoiassem o governo que buzinassem. A categoria pretende, agora, realizar uma série de protestos contra o governador em diversas vias do DF, como EPTG e Epia. 

Para a semana que vem, o sindicato afirma que há um novo encontro marcado, ainda sem local e datas definidos. Os policiais civis reivindicam o mesmo aumento salarial concedido à Polícia Federal no ano passado, de 37%, a reestruturação da Polícia Civil e a realização de concurso público.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade