Publicidade

Correio Braziliense

Artistas e produtores participam da reinauguração do Centro de Dança DF

Local oferece salas para prática e pesquisa e terá gestão compartilhada com artistas do setor


postado em 28/02/2018 21:40

O Centro de Dança do Distrito Federal, no Setor Cultural Norte, foi reaberto na noite desta quarta-feira (28/2). Bailarinos, coreógrafos e produtores acompanharam a reinauguração do espaço, desativado em 2013 para reformas.

Na cerimônia, o governador Rodrigo Rollemberg, acompanhado da primeira-dama, Marcia Rollemberg, reconheceu a luta da categoria para a recuperação do local. “Esse espaço será um templo da diversidade cultural e favorecerá todas as linguagens da dança que temos no DF”, defendeu.

“Brasília será uma cidade muito melhor quando tiveram esses espaços abertos de volta à população”, acrescentou o chefe do Executivo, em referência às outras obras em equipamentos culturais, como o Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul) e no Teatro Nacional Claudio Santoro.

O secretário de Cultura, Guilherme Reis, ressaltou a participação social como pilar para a reabertura do local. “Estamos extremamente felizes em começar a devolver à população os equipamentos públicos de cultura”, disse. “Aqui, hoje, há muita gente que fez a história da dança de Brasília e certamente outras que darão continuidade a esse legado”, completou.

Reformado, o prédio dispõe de piso próprio para prática de dança, fachada e banheiros novos, sistemas elétrico e hidráulico adequados, iluminação modernizada e acessibilidade, como rampas e corrimãos. A readequação foi possível graças ao recurso de R$ 3,2 milhões, financiados pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap).
 

Parceria com ONG 

 
A curadoria e a coordenação das atividades do Centro de Dança do DF serão conduzidas em parceria com a organização da sociedade civil Conexões Criativas. 
 
Selecionada por meio de chamamento público, até dezembro, a associação será responsável pela programação das atividades e por estimular o fomento a pesquisas de linguagem, investigação do movimento, qualificação artística e aperfeiçoamento profissional.
 
O orçamento previsto para articular as ações é de R$ 600 mil. Ao longo desse período, convocatórias públicas permitirão a ocupação dos espaços do Centro de Dança. As inscrições para a primeira delas ficarão abertas de quinta-feira (1º/3) a 12 de março.


Seminário abre série de atividades

 
Como parte das primeiras atividades do Centro de Dança depois da reforma, a exposição fotográfica A História que se Dança ficará em cartaz até 17 de junho. A mostra apresenta 30 fotos de artistas de grupos locais do setor, com base no acervo da exposição sobre os 45 anos da dança no DF, organizada por Marconi Valadares e Yara de Cunto.

De quinta-feira (1º) até sábado (3), artistas ligados à dança ocuparão as instalações recém-inauguradas com o seminário Abre Alas, com três eixos temáticos: Dança e Memória, na quinta-feira (1º); Dança e Diversidade, na sexta-feira (2); Dança e Infância, no sábado (3).
 
Compõem a agenda mesas-redondas com representantes da cena de Brasília e de outras unidades da Federação, lançamentos de livros, mostra de videodança e a instalação coreográfica Biblioteca de Dança.
 

Seminário Abre Alas

De 1º a 3 de março (quinta-feira a sábado)
Das 14 horas às 19h30
Programação completa no site do Centro de Dança do DF
 

Exposição A História que se Dança

Visitação até 17 de junho
Das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas

 
Convocatórias públicas para ocupação dos espaços

De 1º a 12 de março
Inscrição de propostas pelo site do Centro de Dança do DF
 
Com informações da Agência Brasília 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade