Publicidade

Correio Braziliense

Bancos não abrem nesta quinta-feira devido à greve dos vigilantes

A categoria decidiu paralisar as atividades na quarta-feira (28/2) e pede por reajuste salarial


postado em 28/02/2018 22:46 / atualizado em 28/02/2018 23:33

Por conta da greve dos vigilantes, bancos não abrem a partir desta quinta(foto: Sindesv/Divulgação)
Por conta da greve dos vigilantes, bancos não abrem a partir desta quinta (foto: Sindesv/Divulgação)

Os vigilantes do Distrito Federal decretaram greve a partir desta quarta-feira (28/2). Com isso, os bancos não abrem nesta quinta (1º/3) e órgãos públicos, incluíndo hospitais e escolas, ficam sem o serviço. A paralisação foi decidida em assembleia geral após a reunião entre a categoria e empresários terminar sem acordos. 

Os trabalhadores pedem reajuste de 7% dos salários, aumento do ticket alimentação e manutenção das cláusulas sociais, como seguro de vida e plano de saúde. 

Durante as tratativas, os responsáveis pelas empresas propuseram novas medidas, se adequando à reforma trabalhista. Também foi sugerido fatear o pagamento do ticket alimentação, sendo metade por meio do cartão e a outra parte em cestas básicas. A categoria, porém, não aceitou as propostas. 

De acordo com o Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF), todas as alternativas dadas não trariam benefícios aos trabalhadores. "As propostas são sempre no sentido de retirar nossos direitos, diminuindo hora de almoço, não pagando feriados nem intrajornadas. São conquistas antigas, acordadas, que querem abolir", disse o Diretor de Comunicação do Sindesv-DF, Gilmar Rodrigues de Azevedo. 

O Correio tentou contato com o GDF, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. A greve segue por tempo indeterminado. 
 
(foto: Sindesv/Divulgação)
(foto: Sindesv/Divulgação)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade