Publicidade

Correio Braziliense

Passageiros do Metrô enfrentam dificuldade na volta para casa

Apesar da superlotação, seguranças e policiais conseguiram controlar o fluxo de pessoas e não houve registro de acidentes por conta da superlotação


postado em 28/02/2018 23:37 / atualizado em 28/02/2018 23:47

Trem do metrô descarrila em Águas Claras e serviço fica interrompido(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Trem do metrô descarrila em Águas Claras e serviço fica interrompido (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Volta para casa complicada para os usuários do Metrô, na noite desta quarta-feira (28/2). O descarrilamento de um dos trens, nesta manhã, causava transtornos aos passageiros, que eram obrigados a desembarcar e embarcar novamente entre as estações Águas Claras e Arniqueiras. 

O empresário e morador de Taguatinga, Sandro Souza, precisou sair de casa para resolver questões do trabalho e preferiu deixar o carro em casa. "Justo hoje! O metrô está um horror. Por volta das 20h, a Central estava bastante cheia e a espera era grande. Isso tá cada dia pior. Ontem um viaduto vai, hoje um trem sai dos trilhos e amanhã, o que mais falta acontecer?", questionou. 

Mesmo sabendo da situação, a babá Maria de Lourdes Vieira, 38 anos, não esperava gastar tanto tempo para voltar para casa, em Samambaia. "O tempo que levo para fazer todo o trajeto da 114 Sul até Samambaia, eu gastei me deslocando de uma estação a outra. Foi um sufoco. O vagão estava o dobro de cheio. Eu espero que essa situação não se repita e nem continue assim”, disse. 

O Correio esteve no local e presenciou o tumulto, a lotação das estações prejudicadas e as reclamações dos usuários, que se apertavam para conseguir deixar e entrar nos terminais. Contudo, os seguranças, com ajuda da Polícia Militar do Distrito Federal, conseguiram organizar o fluxo, direcionar corretamente os usuários, não havendo incidentes por conta da quantidade de pessoas. "O problema é que a Estação Arniqueira não é projetada para grandes embarques e desembarques. Não é tão larga, espaçosa como a Estação Central, por exemplo, mas acabou tendo que fazer esta função", explicou um segurança do Metrô, que preferiu não se identificar. 

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) auxiliava a chegada e saída dos ônibus especial que faziam o transporte, de graça, dos usuários do metrô entre a Estação Águas Claras e a Estação Arniqueiras. No horário de pico, o trânsito ficou ainda mais intenso para os motoristas que passavam nas proximidades. 

Segundo a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal, aproximadamente 40 servidores do metrô trabalhavam entre os trilhos na noite desta quarta-feira. A expectativa é de que os três carros do trem que restaram no local sejam retirados até as 3h de amanhã (1/3). A previsão é que o sistema se normalize completamente por volta das 5h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade