Publicidade

Correio Braziliense

Metrô funciona com tempo de espera maior após trem sair dos trilhos

Os passageiros precisam descer na estação Águas Claras e trocar de trem para seguir viagem. Composições trafegam em velocidade reduzida


postado em 01/03/2018 06:31 / atualizado em 01/03/2018 11:06

Trem saiu dos trilhos e subiu na brita do canteiro central, próximo à Estação Arniqueiras(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Trem saiu dos trilhos e subiu na brita do canteiro central, próximo à Estação Arniqueiras (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Os passageiros que precisam usar o metrô vão precisar de paciência nesta quinta-feira (1°/3). Funcionários da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) seguiam, até por volta das 7h, com os trabalhos de reparos nos trilhos no local onde um trem descarrilou, próximo a estação Arniqueiras. Por conta disso, apenas um trem passa de cada vez nos trilhos entre as estações de Águas Claras e Arniqueiras. De acordo com o órgão, as linhas estão energizadas e o início da operação do sistema ocorreu com cerca de 15 minutos de atraso. 

 

A operação, em caráter especial, ocorre para quem usa metrô nos dois sentidos. Os passageiros precisam desembarcar na estação Águas Claras, trocar de plataforma e entrar em outro trem para seguir viagem. Com isso, o intervalo de espera entre um trem e outro, que era de cerca de 3 minutos, vai para ao menos 22 minutos, segundo a estimativa do Metrô-DF, já que as composições vão passar em velocidade reduzida. A previsão do órgão é de que os sistema seja normalizado depois das 9h30.

 

Os reflexos do problema no metrô são percebidos na estação Águas Claras, onde centenas de passageiros relatam a saída de trens lotados e um pouco de desorientação. O trânsito também sofreu impacto. Desde às 6h, a movimentação de carros na Estrada Parque Taguatinga-Guará (EPTG) era grande e o fluxo de carros seguia aumentando gradativamente. Não há registro de acidentes.

 

Ver galeria . 11 Fotos Ed Alves/CB/DA Press
(foto: Ed Alves/CB/DA Press )

Fora dos trilhos

 

Ontem, por volta das 9h, um trem saiu dos trilhos e subiu na brita do canteiro central, próximo à Estação Arniqueiras. Não houve vítimas, pois todos os passageiros haviam sido retirados no ponto anterior, em Águas Claras. Funcionários fizeram fotos e vídeos do interior da cabine do piloto após o descarrilhamento, que mostraram o piso do trem — feito de aço e madeira — parcialmente destruído após a composição avançar sobre o para-choque que delimita a área de manobra. 

 

O trecho permaneceu interditado durante todo o dia e os trabalhos avançaram pela madrugada. Após o incidente de ontem, o espaço entre as estações de Águas Claras e Arniqueiras se tornou um “buraco” na linha do metrô. Quem saiu de Ceilândia ou Samambaia teve que descer em Águas Claras e pegar um ônibus, que rodou gratuitamente a partir das 16h, até Arniqueiras, onde poderia tomar um trem até a Estação Central. Quem vinha do Plano Piloto teve que fazer o percurso inverso, pegando um ônibus em Arniqueiras.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade