Publicidade

Correio Braziliense

Homem é encontrado morto em passagem para pedestres na EPTG nesta quinta

A passagem subterrânea fica em frente ao Setor Lúcio Costa, no Guará. Polícia Civil trata o caso como homicídio. Moradores reclamam de falta de segurança na região


postado em 01/03/2018 10:50 / atualizado em 01/03/2018 14:42

Ver galeria . 5 Fotos Ed Alves/CB/DA Press
(foto: Ed Alves/CB/DA Press )

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga a morte de um homem, identificado como Jeová de Souza, 38 anos, encontrado com marcas de facada na cebaça e no peito, em uma passagem subterrânea na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), na altura do Lúcio Costa. Policiais militares viram o corpo, que estava caído ao lado de uma bicicleta, por volta das 5h desta quinta-feira (1/3).
 
De acordo com o delegado-chefe Johnson Kenedy Monteiro, da 4ª Delegacia de Polícia (Guará 2), responsável pelo caso, trabalham com as hipóteses de latrocínio e homicídio. "Não podemos descartar nenhuma possibilidade. Mas estamos investigando para identificar o suspeito e entender a motivação do crime", explica. 
 
Jeová seria morador de rua e usuário de drogas. Ele não possuía antecedentes criminais. Populares informaram que a vítima costumava catar latas na cidade. A área ficou isolada pelo início da manhã, mas foi liberada por volta de 11h.
 

"Essa passarela é terrível"


A aposentada Sandra Cristina da Silva, 53 anos, chegou a ver o corpo cerca de três horas depois de encontrado. Ela levava a filha mais nova para pegar o ônibus para a escola e presenciou a cena. Ela se queixa da falta de segurança na região. 
 
"A qualquer hora tem assalto mesmo. Essa passarela é terrível. Nunca cheguei a ser assaltada, mas minha filha sim. E já presenciei esse crime (assalto) às 6h da manhã", disse a moradora. 

O agravante para assaltos e homicídios no local, segundo Sandra, foi a desativação, há dois anos, de um posto policial que havia na região. "Pelo menos tínhamos segurança, ou pelo menos era assim que eu me sentia. Depois que saiu, as coisas pioraram", avaliou a moradora. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade