Publicidade

Correio Braziliense

Após surto, policial efetua disparos e se tranca em quarto em Vicente Pires

O policial, que faz parte do Batalhão Policial Rodoviário, se rendeu após quase três horas. Moradores relataram que ele efetuou vários disparos em direção à rua


postado em 02/03/2018 14:05 / atualizado em 02/03/2018 16:07

Ver galeria . 7 Fotos Luis Nova/CB/D.A Press
(foto: Luis Nova/CB/D.A Press )

 

Um policial militar de 32 anos efetuou vários disparos em direção à rua, em Vicente Pires, após um suposto surto. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o caso ocorreu por volta das 12h30 desta sexta-feira (2/3), no segundo andar de um prédio na Rua 12. Após os tiros, o homem, identificado como Silvio Costa Pereira, se trancou em um dos quartos do apartamento, ainda armado, onde permaneceu até se render, por volta das 15h10. Ninguém se feriu.

 

O policial faz parte do Batalhão Policial Rodoviário (BPRv), da última turma da corporação, de 2014. De acordo com a PM, ele consumiu bebida alcoólica e recebeu a ligação de um parente. Aparentemente os dois discutiram e depois disso, o policial teria surtado.

 

Depois que se trancou no cômodo, ele solicitou que o comandante do grupo fosse até o lugar para conversar. Por questões de segurança, policiais militares isolaram a rua e, com o apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), negociaram a rendição do homem.

 

Após se entregar, os militares escoltaram o policial até uma ambulância do Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF). Embora não esteja ferido, ele foi levado a um hospital. O segundo andar do prédio, de onde partiram os tiros, ficou isolado para que a perícia fosse realizada. O policial deve passar por exames psicológicos para apontar a causa do suposto surto.

 

 

Depois de ser liberado do hospital, Silvio Costa deve ser levado para a 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) e depois à Corregedoria da PMDF. Por enquanto, ele será afastado das funções e, posteriormente, passará por exames para atestar se ele terá condições de voltar a trabalhar", informou o major Joel Santos, comandante do 17° Batalhão da PMDF, que atua em Vicente Pires.

 

"Ninguém sabia de onde vinham os tiros"

Policiais afirmaram que, após disparar, o homem tirou as calças que vestia e ficou só de bermuda. Ele foi visto da janela, colocando a peça de roupa no ombro. A namorada dele, que estava no local no momento do incidente, permaneceu no prédio, mas deixou o imóvel. Na rua, policiais e moradores relataram ter visto marcas de ao menos um tiro em um carro que estava estacionado no local. Não há relatos de feridos.

 

O subsíndico do prédio, Antônio José da Silva, contou que os tiros foram realizados de dentro do apartamento em direção à rua. Ele afirma que não conhece o PM, mas escutou os barulhos dos disparos e saiu de casa para ver o que estava acontecendo. "Ninguém sabia de onde vinham os tiros. Recolhi as crianças que estavam brincando e me escondi", comentou. Segundo Antônio, foram mais de 20 disparos. No prédio são 16 apartamentos e atrás dele há um condomínio.

Um morador do prédio, que preferiu não se identificar, conta que acordou com o barulho dos disparos. "Fiquei muito assustado, estava com a minha avó e orientaram a gente a ficar dentro do apartamento. Moro no primeiro andar. É uma situação desesperadora", lamenta. Além dos moradores, os comerciantes relataram o incômodo que a situação causou, porque as lojas precisaram ficar fechadas. "A gente perdeu o dia e não seremos ressarcidos pelo prejuízo", comenta uma cabeleireira que não quis ter o nome divulgado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade