Publicidade

Correio Braziliense

"Já estamos com saudade", diz irmã de mulher morta por parceiro na 406 Sul

Elson da Silva, 39 anos, tirou a vida da companheira Romilda Souza, 40 anos, e se matou em seguida, na noite de terça-feira


postado em 07/03/2018 14:20 / atualizado em 07/03/2018 15:54

Os investigadores acreditam que a motivação mais provável para o crime seja passional(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Os investigadores acreditam que a motivação mais provável para o crime seja passional (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
 
Agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), responsáveis por explicar por que Elson da Silva, 39 anos, se matou depois de tirar a vida da companheira Romilda Souza, 40, na noite de terça-feira (6/3) na 406 Sul, acreditam que a motivação mais provável para o crime seja passional. Os policiais, porém, ainda querem ouvir parentes e amigos do casal para confirmar que a tragédia se trata mesmo de um feminicídio.

No Facebook, a irmã de Romilda, Rachel Torres, fez uma postagem emocionada lamentando a morte dela. "Já estamos sentindo muito a sua falta! Minha mãe, eu, seus pimpolhos!!!", escreveu. Ela também descreveu a irmão como uma "pessoa maravilhosa": "Foi só amor, vida, alegria e força ". 

(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)
 
 
Por fim, disse que os filhos têm orgulho da mãe que perderam e disse ter certeza de que voltará a encontrar Romilda. "Minha fé vai continuar aqui, intacta! E eu sei que um dia vamos nos reencontrar. Por enquanto, vamos ter que aprender a lidar com a saudade. Te amo para sempre minha irmã querida!", escreveu.

Inquérito deve ser instaurado hoje 


Segundo o delegado-chefe da 1ª DP, Gerson de Sales, o inquérito de investigação deve ser instaurado ainda nesta quarta-feira (7/3). "Também estamos tentando identificar a origem da arma do crime. Vamos investigar tudo", comentou.  
 
Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), no complexo da Polícia Civil, próximo ao Parque da Cidade. O cadáver de Elson foi liberado nesta manhã e o de Romilda estava em processo de liberação no momento da publicação desta matéria.  
 
O casal tinha dois filhos, de 3 e 4 anos. Eles estavam no local no momento dos tiros, mas não presenciaram a cena, de acordo com a Polícia Militar. Na hora, a mãe de Romilda, que também mora no apartamento, levou os netos para a casa de uma vizinha.  

Defensora do empreendedorismo feminino 


Romilda era funcionária do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Nesta quarta-feira (7/3), o órgão emitiu uma nota lamentando o ocorrido. O texto ressalta que ela era defensora do empreendedorismo feminino e foi gestora nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, atuando à frente do Programa Nacional de Educação Empreendedora. "A instituição amanheceu de luto e está oferecendo todo apoio à família da colaboradora", informa o texto.
 
Ver galeria . 11 Fotos Carlos Vieira/CB/D.A Press
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade