Publicidade

Correio Braziliense

Corpo de mulher assassinada pelo marido na Asa Sul é enterrado

O velório ocorreu no templo ecumênico do Cemitério Campo da Esperança, que ficou cheio de amigos e familiares


postado em 07/03/2018 17:46 / atualizado em 07/03/2018 18:00

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press)
Começou, por volltas das 16h30 desta quarta-feira (7/2), o cortejo fúnebre de Romilda Souza, 40 anos, assassinada pelo marido Elson da Silva, 39, na noite de terça-feira (7/3), no apartamento em que morava, na Asa Sul. O velório ocorreu no templo ecumênico do Cemitério Campo da Esperança, que ficou cheio de amigos e familiares.
 
Ainda não há informações sobre o enterro de Elson, que cometeu suicídio logo após o crime. Nenhum dos cemitérios da do Distrito Federal registrou o enterro do corpo.
 
Agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), responsáveis pela investigação, acreditam que a motivação mais provável para o crime seja passional. Os policiais, porém, ainda querem ouvir parentes e amigos do casal para confirmar que a tragédia se trata mesmo de um feminicídio.
 
Elson usou uma arma de fogo para cometer o crime e chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, mas morreu no local.  Os dois corpos foram encontrados no quarto das vítimas, ambos estavam vestindo pijamas.
 
O casal tinha dois filhos, de 3 e 4 anos. A mãe de Romilda também morava no apartamento. As crianças estavam em casa, mas, segundo a PM, não presenciaram o momento. A avó desceu com os netos para a casa de uma vizinha. 
 
No Facebook, a irmã de Romilda, Rachel Torres, fez uma postagem emocionada lamentando a morte dela. "Já estamos sentindo muito a sua falta! Minha mãe, eu, seus pimpolhos!!!", escreveu.  
 
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade