Publicidade

Correio Braziliense

Tentativa de fuga termina em agressão na Unidade de Internação do Recanto

Agentes socioeducativos serão investigados pela Corregedoria da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo


postado em 07/03/2018 21:27 / atualizado em 07/03/2018 21:40

 

Após a circulação de um vídeo que mostra uma confusão entre três internos da Unidade de Internação do Recanto das Emas e oito agentes socioeducativos, a Subsecretaria do Sistema Socioeducativo informou que a Corregedoria investigará a conduta dos profissionais. O caso aconteceu na manhã do último sábado (3/3), após a tentativa de fuga do trio.

O circuito de segurança da unidade registrou tudo. Na primeira filmagem, por volta das 8h, dois jovens imobilizam e lutam contra um agente da unidade e roubam uma chave. Enquanto isso, outros dois, um deles armado com uma faca improvisada a partir de uma barra de ferro, correm.

No vídeo seguinte, três dos jovens estão sentados no chão, sem camisa, ouvindo um servidor quando outro funcionário se aproxima e cutuca um dos adolescentes com o pé. Nesse momento, os internos se levantam e tem início a confusão. Os agentes cercam os adolescentes e um dos internos avança.

A confusão só chega ao fim após o uso de spray de pimenta de extrato vegetal, menos agressivo às mucosas. Dois adolescentes acabam imobilizados com mata-leões e o terceiro leva uma rasteira.

Agentes haviam aprovado paralisação

A confusão aconteceu justamente em um fim de semana em que os agentes do sistema socioeducativo  paralisavam parte dos serviços após uma decisão em assembleia. Eles exigem a contratação de mais funcionários e alegam que o sistema está superlotado e com deficit de funcionários.

A assessoria de imprensa da Secretaria da Criança emitiu uma nota confirmando a tentativa de fuga e informou que a Justiça brasiliense concedeu liminar ao GDF suspendendo a paralisação dos agentes. Além disso, garantiu que “vai apurar, via Corregedoria, a ação dos agentes no vídeo e informar ao Ministério Público e Vara da Infância”.

Eles também negaram que o sistema esteja superlotado. “A Unidade do Recanto tem capacidade para 229 jovens e, hoje, abriga 217. O Sistema tem capacidade para 873 jovens e, hoje, conta com 797.”

A Vara de Execução de Medidas Socioeducativas da Vara da Infândia e Juventude do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT, também se manifestou. Disse que “já tomou conhecimento dos fatos e adotará as providências cabíveis ao caso”. O assunto também será debatido em uma reunião da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil do DF na noite desta quarta (7/3).

O presidente do Sindicato do Sistema Socioeducativo do DF, Walter Marques, por sua vez, defendeu os agentes. Disse que agiram com uso progressivo da força. “Tanto que estavam armados com tonfas e não as utilizaram”, argumentou. “O vídeo está descontextualizado. Os agentes estão fazendo um procedimento de revista por conta da tentativa de fuga. Nesse procedimento, encontramos dois estoques. Os três jovens se negaram a passar pela revista”, disse.

Ainda de acordo com Walter, a provocação do agente com o pé teria sido, na verdade, um pedido para que o rapaz se levantasse. “Ele (os agentes) tinha duas opções, pedir ou levantá-los na marra. Ninguém que está em uma operação de contenção deve abaixar a cabeça, pois isso é arriscado. Depois, o jovem se levantou, mas sem as mãos para trás, que é o procedimento e, em seguida, tentou furar o bloqueio dos agentes”, narrou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade