Publicidade

Correio Braziliense

Furto de boi no Gama mobiliza população; animal já apareceu até em novela

Diamante, como é conhecido, foi levado de dentro do pasto de uma chácara na região em 5 de março. Para família, o ladrão é uma pessoa que conhece o animal e tem costume de lidar com bois


postado em 12/03/2018 18:44 / atualizado em 12/03/2018 19:08

Diamante tem 8 anos e é conhecido por ser dócil e manso(foto: Reprodução/Facebook)
Diamante tem 8 anos e é conhecido por ser dócil e manso (foto: Reprodução/Facebook)
O furto de um boi dentro de uma chácara do Gama abalou moradores da área rural da região. Há uma semana, a população se mobiliza para encontrar o animal de seu Adelino dos Bois, como é conhecido o dono da chácara. Ele foi levado de dentro do pasto em 5 de março. Filho de seu Adelino, Adriano Roberto Pinto Barbosa, 34 anos, contou que o ladrão entrou na propriedade da família por volta das 16h e retirou o animal de lá. Mas, segundo o pecuarista, o bovino, conhecido como Diamante, ficou amarrado em um pasto próximo até a manhã do dia seguinte. Por volta das 6h30 de 6 de março, o suspeito o levou embora.

Desde então, pai e filho tentam localizar Diamante com a ajuda de amigos e moradores da região. Dócil, o animal é conhecido pela mansidão e era usado para montaria. Em fotos nas redes sociais, ele aparece sempre com crianças e adultos. O boi tem 8 anos, é marrom e tem uma mancha branca na cabeça. “Ele era levado para eventos em escolas e até já apareceu na televisão, na novela da Globo que foi gravada em Goiás Velho, em 2014”, lembrou Adriano.

Antes de registrar ocorrência do furto do animal na 20ª Delegacia de Polícia (Gama), Adriano procurou o boi dentro da propriedade de 37 hectares. Inicialmente, ele e o pai pensaram que Diamante poderia ter caído dentro de algum buraco ou ficado preso em algum lugar. No entanto, os dois receberam a notícia de vizinhos que viram um homem saindo com o boi. “Ele passou em frente à Feira Permanente do Gama às 6h30 de 6 de março. Quem levou foi uma pessoa que o conhece e, pelas características, tem costume de lidar com animal”, acredita o pecuarista.

Adriano tenta conseguir imagens de câmeras de segurança que mostram a fuga do suspeito. Com o furto de Diamante, restaram três bois machos na propriedade da família. O mais velho tem 16 anos, o do meio, 9, e o mais novo, 1 ano e meio. Para evitar que os outros sejam levados, o pecuarista procura outro local para colocar os animais. “O mais novo eu ainda não amansei nem vou fazer isso, porque, depois, as pessoas levam embora. Desde que tudo aconteceu eu redobrei o cuidado. Ontem (domingo) conseguimos um outro local para deixá-los e vamos levá-los para lá”, contou.

Outros casos 

Essa não é a primeira vez que Adriano e o pai enfrentam a perda de um dos bois. Em 2016, ladrões roubaram outro animal e o mataram. Ano passado, um deles também morreu envenenado. “É muito triste, porque eles são uma paixão da família. Os animais também são uma forma de a gente conseguir contribuir um pouco com a população, porque eles participam de eventos em colégios e igrejas. Fica muita saudade, mas estamos correndo atrás, porque acreditamos que podemos recuperá-lo”, destacou.

Na véspera do dia em que Diamante foi levado, ele tinha participado de um evento na Cidade Ocidental, distante 40 quilômetros de Brasília. A cavalgada em homenagem ao Dia das Mulheres ocorreu em 3 de março, um sábado. “Criamos bois por um hobby. É uma paixão da família. No início, eram 22, até que diminuímos. Mas, hoje, não dá para criar mais nada, porque as pessoas roubam”, desabafa.

Nas redes sociais, seu Adelino dos Bois fez um depoimento emocionado. Com lágrima nos olhos, ele pede que entrem em contato caso tenham visto Diamante. “Ele é boi manso, de cela, de fazer cavalgada, exposições, gravou a novela da Globo em Goiás Velho. É como um filho. Eu os amo muito. Todos são meus filhos. Eu tenho o maior carinho e amor por eles. Eu apelo a vocês, por favor, me ajudem a encontrá-lo. Não deixem que façam maldade com ele”, pede.
 
 

Quem viu o boi pode entrar em contato com a família pelos telefones (61) 99672-1161 98564-0777. A ocorrência é investigada por equipes da 20ª DP. Mas, até a última atualização desta reportagem, ninguém havia sido preso nem identificado pela polícia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade