Publicidade

Correio Braziliense

Motorista que atropelou mulher em Ceilândia não será indiciado, diz polícia

A Polícia Civil apura se outro automóvel teria atingido a mulher. Vítima se desesperou durante assalto a ônibus, desceu e acabou morrendo atropelada


postado em 14/03/2018 11:59 / atualizado em 14/03/2018 14:19

Os agentes apreenderam um adolescente de 17 anos suspeito de ter participado do crime. Outro envolvido no assalto foi identificado(foto: Reprodução)
Os agentes apreenderam um adolescente de 17 anos suspeito de ter participado do crime. Outro envolvido no assalto foi identificado (foto: Reprodução)
 

Agentes da 23ª Delegacia de Polícia (P Sul) continuam apuração sobre a morte de Claudineia Oliveira Teixeira, 37 anos, atropelada no início da manhã dessa terça-feira (13/3), após fugir de assalto dentro de ônibus em Ceilândia. Testemunhas afirmaram que o próprio coletivo teria atropelado a vítima, porém, os investigadores também trabalham com a hipótese de que outro automóvel teria atingido a mulher. No entanto, segundo a Polícia Civil, independentemente de qual veículo tenha sido responsável pelo acidente, o condutor não será indiciado pelo crime.  

 

"Eles não serão indiciados, pois a morte dela foi acidental", ressalta o delegado responsável pelo caso, Victor Dann. De acordo com ele, a perícia poderá apontar qual veículo foi responsável por tirar a vida da mulher. Além disso, o delegado aponta que os suspeitos responderão por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. "Apesar de a intenção dos envolvidos ter sido de roubo, o pânico causado nos passageiros, em decorrência da ação, resultou na morte de Claudineia", diz.  

 

No fim da noite de ontem, os policiais conseguiram apreender um adolescente de 17 anos suspeito de ter participado do assalto. Ele ficará apreendido preventivamente por 45 dias e, se comprovada a participação dele no crime, pode ficar até 3 anos.  O jovem também é acusado de ter praticado furtos, tráfico de drogas e homicídio. Outra pessoa foi identificada pela polícia. Alessandro Pereira da Silva, 22 anos, apelidado de 'Diabo Loiro', foi apontado como integrante do grupo criminoso. 

 

O terceiro suspeito não foi identificado. Ele teria acompanhado toda a ação em um carro, utilizado na fuga dos suspeitos. Os agentes buscam novas testemunhas que possam levar à identificação do homem. Imagens de câmeras de segurança dos comércios locais foram solicitadas para auxiliar na investigação.

 

No início da apuração, um carro semelhante ao usado na ação, um Siena Vermelho, foi encontrado na Octogonal.  No entanto, os policiais esclareceram depois que se tratava do veículo de um militar do Exército, que havia sido deixado no local após uma pane e não o usado no crime. Segundo o delegado Victor Dan, a coincidência fez com que a investigação ficasse um pouco atrasada. "Foi uma coincidência grande, que acabou interferindo no nosso trabalho." 

 

Vítima atropelada após assalto

 

As imagens de segurança do ônibus da empresa Marechal, em que Claudineia estava, mostram o momento em que os assaltantes entram no ônibus no P Sul. As pessoas aparentam nervosismo e muitas tentam sair do veículo. Segundo a polícia, os criminosos ordenaram que elas voltassem aos lugares. Foi nesse momento que a mulher caiu do veículo e foi atropelada.

 

 

 

Claudineia saía de casa, de segunda-feira a sábado, por volta das 5h, para pegar o ônibus e chegar às 7h no trabalho, na Asa Norte. Ontem, o marido, Elton Teixeira, 51 anos, levou Claudineia ao terminal de ônibus do P Sul. Ele temia que a mulher fosse vítima de roubo, como tantos outros passageiros têm sido todos os dias na região. O casal morava no Setor Habitacional Pôr do Sol, um dos mais violentos do Distrito Federal, com o filho Alysson, 19 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade