Publicidade

Correio Braziliense

Homem destrói 17 carros e uma caminhonete na Cidade do Automóvel

Marcio Ferreira da Silva, 46 anos, foi preso próximo a concessionárias e confessou o crime em seguida


postado em 16/03/2018 15:24 / atualizado em 16/03/2018 15:25

O criminoso passa pelos carros desferindo golpes, aparentemente, com uma pedra. Capôs e para-brisas ficaram destruídos(foto: Divulgação)
O criminoso passa pelos carros desferindo golpes, aparentemente, com uma pedra. Capôs e para-brisas ficaram destruídos (foto: Divulgação)
 
Um homem de 46 anos destruiu 17 carros e incendiou uma caminhonete de concessionárias de seminovos na Cidade do Automóvel. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira (16/3). Policiais militares foram acionadas para atender a ocorrência e prenderam Marcio Ferreira da Silva ainda próximo à loja. Ele confessou o crime.

O Corpo de Bombeiros também precisou atender o caso, devido ao incêndio na caminhonete. Três veículos e 12 militares participaram do atendimento. As imagens de segurança da loja de veículos mostram a ação do criminoso. Ele passa pelos carros desferindo golpes, aparentemente, com uma pedra. Capôs e para-brisas ficam destruídos com a ação do homem.  



O dono da concessionária Fênix, que teve o maior número de veículos destruído, Alexandre França da Chaga, 51 anos, afirma que o prejuízo está avaliado em mais de R$ 500 mil. "A princípio, vamos arcar com todos os danos. Depois vamos consultar um advogado para saber se existe uma forma de recorrer", comenta. Alexandre conta que o estabelecimento vizinho também sofreu danos. "Queimaram a caminhonete da loja que fica ao lado da nossa, ela custa R$ 150 mil. A fachada também está destruída", lamenta.  
 
Mesmo com os danos, Alexandre afirma que os comerciantes tiveram sorte de o homem ter sido preso antes de causar mais danos. "A intenção dele era destruir toda a rua. A situação podia ser bem pior", pondera.  
 
Após a prisão, o suspeito foi encaminhado à 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). A PM informa que o crime de vandalismo não é comum na Cidade do Automóvel e que faz constante patrulhamento na região.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade