Publicidade

Correio Braziliense

Músico desaparecido é encontrado desorientado dentro de casa

O jovem estava desaparecido desde quarta-feira (14/3). Amigos relataram que ele estava desnorteado e desidratado


postado em 16/03/2018 20:55 / atualizado em 16/03/2018 20:56

Mikael foi encontrado depois de ficar dois dias sem dar notícias. Ele não portava celular, que foi roubado na noite anterior ao desaparecimento(foto: Arquivo pessoal)
Mikael foi encontrado depois de ficar dois dias sem dar notícias. Ele não portava celular, que foi roubado na noite anterior ao desaparecimento (foto: Arquivo pessoal)

O flautista e professor Mikael Lopes, desaparecido desde quarta-feira (14/3), foi encontrado nesta sexta (16/3), dentro do armário do próprio quarto, em Samambaia Norte. A mãe foi quem o achou, enrolado em uma coberta, bastante desidratado e desnorteado. 

O jovem, de 20 anos, mora sozinho na casa, mas o irmão, Mikeias Lopes, estava no local desde a data do desaparecimento, na esperança de receber Mikael. Quando Mikeias saiu para trabalhar, o músico retornou à residência e se escondeu.

Segundo Kalebe Nascimento, amigo de Mikael, o flautista estava fora de si e não chegou a comentar sobre o tempo em que esteve fora. "Não há indícios de que ele foi levado por alguém, achamos que ele teve algum tipo de surto. Ele estava bastante abalado porque, no dia anterior ao desaparecimento, ele foi assaltado e levaram tudo dele", relatou.
 

Trauma após assalto 

 
Em uma parada de ônibus, na QR 425 de Samambaia, os ladrões roubaram os documentos, cartões, celular, tablet, notebook, livros, partitura, R$ 300 e o instrumento de trabalho, um flautim, que ainda estava sendo quitado. 

O músico foi levado ao hospital pela mãe, onde foi medicado. "O susto passou, mas agora vamos levá-lo a consultas, psiquiatras. Inclusive amigos e alunos dele já ofereceram ajuda. Estamos resguardando e cuidando dele agora", contou Kalebe. 

Mikael é aluno de música na Universidade de Brasília (UnB) e participa ativamente de eventos na Escola de Música de Brasília e no Clube do Choro, além de ser maestro em uma orquestra da Assembleia de Deus.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade