Publicidade

Correio Braziliense

Templo em Alto Paraíso recebe cientista e guru indiano Amit Goswami

A escolha do Alto Paraíso como ponto para o templo é devido à teoria de que o lugar é a terra prometida


postado em 18/03/2018 08:00 / atualizado em 17/03/2018 21:25

Em abril, Amit desembarca no Brasil para realizar palestras no templo da Centelha Divina, em Alto Paraíso, Goiás(foto: Amit Goswami Team/Divulgação)
Em abril, Amit desembarca no Brasil para realizar palestras no templo da Centelha Divina, em Alto Paraíso, Goiás (foto: Amit Goswami Team/Divulgação)
A mente controla tudo. Pensar coisas positivas pode refletir em retorno otimista do universo, assim como pensamentos negativos geram vibrações ruins. É o que acredita o físico indiano Amit Goswami, que recorre ao ativismo quântico para formular suas teorias. O cientista ficou internacionalmente conhecido pelo documentário Quem somos nós?, no qual explica que física quântica é a ciência das possibilidades, e que as decisões só dependem das pessoas.

Em abril, Amit desembarca no Brasil para realizar palestras no templo da Centelha Divina, em Alto Paraíso, Goiás. No evento, falará sobre felicidade com base nos estudos da física quântica que comprovam, cientificamente, o poder da meditação e da força dos pensamentos positivos para uma vida mais plena. A presença do indiano serve como ato de abertura do local, fundado por Michelle Ximenes, presidente e fundadora da Associação de Desenvolvimento Harmônico (ADHA).

A escolha do Alto Paraíso como ponto para o templo é devido à teoria de que o lugar é a terra prometida. “Esse é um dos locais mais energéticos do planeta, que tem uma enorme pedra de cristal embaixo da cidade, o que mantém uma energia muito sutil”, garantiu Michelle.

Antes de conhecer a física quântica, a fundadora da Associação de Desenvolvimento Harmônico dirigiu por 18 anos uma empresa com mais de 800 funcionários. A trajetória de sucesso como CEO acabou interrompida por uma doença que os médicos não conseguiam diagnosticar, mas que a levou a ficar seis meses na cama.

Fraqueza

“Nesse período, busquei livros que pudessem me ajudar a compreender o sentido da vida aqui na Terra. A partir daí, comecei a mudar muita coisa em minha vida e, com isso, o modo de pensar e agir.  Compreendi que toda doença é gerada por nós mesmos, através dos nossos pensamentos fracos e emoções, porque perdemos a conexão com o Divino”, explica ela. Hoje, Michelle atua como coaching espiritual e ajuda as pessoas no desenvolvimento próprio e na cura.

Na inauguração do templo, ela quis realizar o sonho de trabalhar com o Amit Goswami. Após as palestras do indiano, o templo continuará com várias atividades gratuitas e, mensalmente, contará com congressos pagos para ajudar a manter o espaço. Antes de desembarcar no Brasil, Amit conversou com exclusividade com o Correio. Na entrevista, antecipou o debate que será levantado no templo da Centelha Divina, falou sobre a física quântica, espiritualidade e vida eterna. O seminário será ministrado em inglês, mas contará com dois tradutores simultâneos.

Entrevista com Amit Goswami

O senhor nasceu na Índia e é filho de um sacerdote brâmane. O que o fez deixar de lado o conhecimento espiritual que estava presente na família para tornar-se um cientista?
Foi um movimento de negação. Algo muito comum e natural entre gerações. Eu senti uma necessidade de romper, de seguir um caminho totalmente novo, queria ir para os Estados Unidos ser cientista, acreditava que era isso que me faria feliz.

Como físico, qual é a sua visão sobre espiritualidade?
Como cientista, passei por uma grande transformação pessoal quando percebi que todo aquele conhecimento que vem de uma doutrina chamada materialismo-científico não me satisfazia. Eu sentia um vazio imenso e foi nessa crise que tive o grande insight de buscar dados científicos que comprovassem que não somos apenas matéria, que a existência não se trata apenas de interações materiais. Então, com a física quântica, percebi que era possível integrar ciência e espiritualidade e comprovar a existência da consciência que dá base a toda existência, estamos todos interligados por essa consciência e isso já pode ser comprovado cientificamente. É o que eu chamo de visão de mundo quântica.

Nessa visão, onde se encaixa a vida eterna?
Dentro da visão quântica de mundo, sabemos que nossa vida não termina quando a matéria acaba. Sim, existe um componente da existência que transcende o mundo material, a alma, que é denominada de formas diferentes, dependendo da religião. Mas a minha visão não é religiosa, é quântica. Existe um conjunto de informações que levamos de uma vida para outra, mas é mais complexo do que dizer “eu fui isso ou aquilo na minha vida passada e, portanto, agora tenho que fazer ou passar por tal e tal coisa”.

Por muito tempo os princípios da física quântica eram vistos como algo restrito a laboratórios e pesquisadores. Como você acredita que é possível aplicar esses conceitos no dia a dia?
A física quântica é a ciência do empoderamento. Ela é, ao mesmo tempo, a ciência da manifestação, da felicidade e da realização. Mas, qualquer que seja o nome que eu der, sua mensagem é inconfundível: o mundo é consciente, é autoconsciente e é autoconsciente para nós. E eis o segredo: você faz a diferença em sua vida, você é o criador da sua vida. A visão de mundo quântica e os métodos quânticos que eu ensino nos meus cursos, livros e palestras, apontam na teoria e na prática esse caminho de transformação pessoal e empoderamento.

Por que o senhor acha que na nossa sociedade atual, principalmente na ocidental, luta-se tanto para afastar a ciência da espiritualidade/religiosidade?
Existe uma doutrinação e separatismo de ambos os lados. De um lado, tudo é matéria, é o que chamamos de materialismo científico. Nesta visão de mundo, você não tem nenhuma escolha. A outra visão, naturalmente, que se sustenta desde os velhos tempos, é a religião. Isso não significa que esteja certa ou errada. Trata-se de uma visão de mundo muito poderosa, que vem nos proporcionando sociedade, cultura e civilização há milhares de anos. Devemos levá-la a sério, e muita gente ainda se orienta por ela.

Como seria essa visão religiosa?
A visão de mundo religiosa diz que tudo é a vontade de um deus, e as religiões brigam para definir o que seja Deus. Temos no mínimo cinco grandes religiões e todas têm imagens diferentes desse Deus. Bem, e qual imagem de Deus é a correta? As duas visões de mundo, o materialismo científico e a religiosa, criam um sentido de elitismo. Você não pode saber, você não conhece os assuntos de Deus, é o que nos diziam os sacerdotes no passado; hoje, é isso que nos dizem os acadêmicos. Você não sabe, você não tem o conhecimento para resolver esses problemas. Você não sabe escolher. Na verdade, você não tem escolhas. Esse elitismo está presente tanto na ciência, quanto na religião e é o contrário da visão de mundo quântica, uma visão integrativa baseada nos princípios da física quântica, a ciência do empoderamento.

Como será a palestra ministrada na inauguração do Templo da Centelha Divina?
Eu vou apresentar a ciência do empoderamento, a visão de mundo quântica. Explicarei os princípios da física quântica que dão base a essa visão integrativa e transformadora e também faremos práticas para sentir o poder dessa nova visão de mundo quântico. O ensinamento que vou passar é semelhante ao trabalho do jardineiro no jardim. As árvores crescem sozinhas, mas o jardineiro sabe quando podá-las, regá-las e coisas assim. Logo, dar inspiração e os alunos, transpiração; juntos, vamos mudar o modo de ser e, com o tempo, vamos usar essa mudança pessoal para mudar o mundo.

Programe-se

Amit Goswani no Templo da Centelha Divina
Quando: 7 e 8 de abril, a partir das 9h | Classificação livre
Onde: Templo da Centelha Divina, em Alto Paraíso (GO)
Inscrições e ingressos: http://bit.ly/AmitGoswamiEmAltoParaíso
Mais informações: (85) 98753-3003 — Michele Ximenes 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade