Publicidade

Correio Braziliense

Jornalista Toninho Drummond morre aos 82 anos, em Brasília

Mineiro de Araxá, o jornalista trabalhou por 25 anos na Rede Globo em Brasília, onde foi diretor


postado em 24/03/2018 13:49 / atualizado em 24/03/2018 14:01

(foto: Aureliza Correa/Esp. CB/D.A Press - 22/7/2008)
(foto: Aureliza Correa/Esp. CB/D.A Press - 22/7/2008)
O jornalista Toninho Drummond faleceu na madrugada deste sábado (24/3), aos 82 anos, em Brasília, cidade onde vivia. Segundo o site Memorial Globo, ele havia sido internado devido a uma infecção renal e a uma pneumonia e sofreu falência múltipla dos órgãos. 

Nascido Antonio Carlos Drummond, em 31 de janeiro de 1936, na cidade de Araxá (MG), o jornalista foi para Belo Horizonte estudar direito. Durante a faculdade, porém, começou a trabalhar no jornal Estado de Minas, do grupo Diários Associados, e abraçou a nova carreira. Após mudar-se para Brasília, trabalhou por 25 anos na direção da sucursal da Rede Globo na cidade, onde chegou ao cargo de diretor. 

Durante sua trajetória profissional, Toninho participou da cobertura de grandes momentos da história do Brasil e do mundo, como a primeira eleição para presidente após a ditadura militar, em 1989; o impeachment de Fernando Collor de Mello e a guerra entre o Irã e o Iraque, na qual conseguiu negociar uma entrevista com Saddam Hussein, realizada por Ricardo Pereira. Ele estava aposentado desde 2012.

Amigos lamentam a morte de Toninho

"Toninho Drumond é uma daquelas pessoas que só nos deixa boas lembranças. Sua educação, sua gentileza no trato das pessoas e principalmente sua enorme experiência profissional foram exemplares para todos nós que convivemos com ele. É uma perda para o jornalismo brasileiro e para Brasília. Minha solidariedade à família e aos amigos dele." 

Rodrigo Rollemberg, governador do Distrito Federal

"Toninho Drummond foi um dos expoentes da sua geração, honrando a tradição mineira que tão bons jornalistas deu ao país. Tenaz, mas sempre gentil; altamente competente, mas sem nenhuma dose de estrelismo; de uma seriedade ímpar no que fazia, mas sempre irradiando bom humor. Formou uma legião de jornalistas. O Grupo Globo deve muito ao talento dele, e expressa a sua imensa gratidão. Toninho foi um profissional exemplar e um amigo querido. Nossa solidariedade à família."

Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho, do Grupo Globo

"O PIANTAS está de luto. Nos últimos tempos tivemos o prazer de ter a companhia do nosso querido e dileto amigo TONINHO DRUMMOND, uma lenda no jornalismo brasileiro. Mas choramos muito mais o verdadeiro amigo que se foi. Um homem a quem o poder não corrompeu. Levava dentro dele o espírito livre das nossas Minas Gerais e a alegria de uma pessoa que acreditava que a vida vale a pena. Tive o prazer de dividir com ele as mesas, as roletas, os vinhos e as infindáveis histórias de uma vida rica em amizades e casos. Ele, seja lá o que existir depois desta vida, logo logo estará, com seu jeitinho único, a sentar em novas mesas e a encantar. Vai com Deus meu amigo. Um brinde!"

Kakay de Almeida Castro, advogado

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade