Publicidade

Correio Braziliense

Princípio de incêndio esvazia prédio do Supremo Tribunal Federal

Funcionários foram retirados do local. Chamas começaram em sala no segundo andar, após curto circuito em aparelho de ar-condicionado


postado em 26/03/2018 09:11 / atualizado em 26/03/2018 12:20

Ver galeria . 7 Fotos Marcelo Ferreira/CB/DA Press
(foto: Marcelo Ferreira/CB/DA Press )

Um princípio de incêndio fez o Corpo de Bombeiros do DF esvaziar o prédio do Supremo Tribunal Federal (STF) na manhã desta segunda-feira (26/3). O fogo começou por volta das 8h, em uma sala no segundo andar, e foi controlado por brigadistas do local.

De acordo com os bombeiros, ninguém ficou ferido no incidente. Na hora do incêndio estavam no prédio cerca de 200 pessoas entre funcionários do setor administrativo, da limpeza e da copa.

 

A assessoria do STF explicou que as chamas começaram após um curto circuito em um aparelho de ar-condicionado na secretaria judiciária. No local ficam os arquivos de diversos processos, inclusive os que estão em andamento.

 

Os bombeiros isolaram o local para avaliação dos danos e, por segurança, a energia elétrica foi desligada. No total, 20 militares e oito veículos do Corpo de Bombeiros participaram do atendimento. A corporação disse que emitirá entre 30 e 40 dias um laudo conclusivo sobre as causas.

 

Prédio esvaziado

 

Os funcionários do local desceram após orientação dos bombeiros e, até por volta das 9h, estavam em frente ao edifício. Imagens da Polícia Militar mostraram a movimentação de bombeiros e de funcionários em frente ao STF. Veja:

 

 

 

De acordo com o capitão dos bombeiros, Gildomar Alves, ainda não há previsão para que os funcionários possam voltar ao prédio. "A fumaça torna o local de trabalho insalubre para permanência deles", explica. Agora, uma equipe da corporação irá até o local para realizar a perícia, que apontará as causas do incêndio. O laudo deve ficar pronto em até 40 dias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade