Publicidade

Correio Braziliense

Variação de preço em produtos de Páscoa pode chegar a 115%

A pesquisa dos preços sempre deve anteceder a chegada ao caixa do supermercado


postado em 29/03/2018 06:00 / atualizado em 29/03/2018 09:51

Os ovos de chocolate têm variação de 54%(foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Os ovos de chocolate têm variação de 54% (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)


O comércio está otimista com as vendas da Páscoa. Contudo, o consumidor deve ficar de olho nos preços, que sofrem variação de um estabelecimento para outro. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindvarejista-DF), os itens mais procurados são bacalhau, ovo de chocolate, azeite e vinho. O Correio pesquisou o valor dos produtos de uma mesma marca em quatro lojas. A maior variação encontrada foi no vinho, com diferença de 115%. A bebida de uma determinada marca pode ser encontrada de R$ 13,99 a R$ 28,33. O bacalhau tem variação de 103%. Os ovos de chocolate ficam em terceira posição, com variação de 54% e, por último, o azeite, com diferença de até 5%.

Peixe e vinho estão na lista de compras do militar do Exército Carlos Rodrigues de Bessa, 50 anos, mas, antes de selecionar os itens, ele garante que pesquisa os preços. “Peixe e vinho não podem faltar na semana santa. São ótimas combinações. Contudo, é preciso pesquisar e aproveitar promoções, pois os valores variam bastante”, afirma o morador da Asa Norte.

De acordo com dados do Sindvarejista, nesta Páscoa é possível encontrar com preço de R$ 5 a R$ 650. O Sindicato informou que os valores são menores em relação a 2017, quando o ovo mais caro chegava a R$ 950, queda de 31%.

Para o especialista em macroeconomia e docente do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UnB) Jorge Madeira Nogueira, a pesquisa dos preços sempre deve anteceder a chegada ao caixa do supermercado. “Certamente teremos uma Páscoa bem melhor do que nos últimos anos. Mas o consumidor deve observar o que está sendo cobrado”, propõe.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade