Publicidade

Correio Braziliense

Morre Wildemir Demartini, importante empresário do setor imobiliário do DF

Wildemir Demartini atuava no setor imobiliário há 41 anos e foi o fundador presidente e conselheiro da Ademi


postado em 02/04/2018 11:15 / atualizado em 02/04/2018 18:15

Wildemir Demartini foi responsável pelo desenvolvimento e intermediação de dezenas de empreendimentos imobiliários da capital(foto: Arquivo Pessoal)
Wildemir Demartini foi responsável pelo desenvolvimento e intermediação de dezenas de empreendimentos imobiliários da capital (foto: Arquivo Pessoal)
Morreu, na madrugada desta segunda-feira (2/4), o empresário Wildemir Demartini, presidente da Lopes Royal. Mais de cem pessoas passaram pelo Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul, para a despedida.

Em clima de comoção, os presentes fizeram questão de lembrar detalhes da personalidade do gestor. "Ele sempre foi considerado a pessoa que mais conhecia o mercado imobiliário. Chegava cedo no trabalho, participava de todas as reuniões, era um ser humano bem quisto, respeitado no meio empresarial e um dos mais atuantes nesse ramo em Brasília", contou o diretor comercial da Lopes Royal, Rogério Oliveira.

Além de encabeçar a Lopes Royal,  Wildemir também foi fundador, dirigente e conselheiro da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi). Ele atuava no setor imobiliário há 41 anos, e morreu vítima de um infarto. O empresário também foi responsável pelo desenvolvimento e intermediação de dezenas de empreendimentos imobiliários da capital.


Vida ativa


Considerado bastante ativo pelos conhecidos, Wildemir gostava de pescarias e era apaixonado por futebol. O empresário, vascaíno fanático, praticava o esporte ao menos duas vezes por semana com amigos, no Park Way. Já de 15 em 15 dias, as partidas ocorriam na casa dele, no Lago Sul, em clima de festa. "Conheço ele há 30 anos, e todas as quartas-feiras e sábados a gente se reunia para jogar. Nosso grupo é formado por umas 50 pessoas e ficamos todos bastante consternados com a notícia", lamentou o amigo Paulo Nogueira. 

Ente querido

 

Os parentes foram enfáticos ao relembrar que a família estava sempre em primeiro lugar para Wildemir. Ele aproveitou o feriado da Páscoa, na semana passada, e viajou para Pirenópolis com a mulher e os filhos. Segundo a cunhada Walquíria Nasser, Wildemir era “considerado como um pai” por todos. “Ele era um homem muito bom, um exemplo. A vida dele era a família e o trabalho”, ressaltou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade