Publicidade

Correio Braziliense

Brasilienses relatam momentos de pânico durante tremor de terra

Moradores de Brasília sentiram um tremor de terra na manhã desta segunda-feira (2/4), por volta das 10h40. Prédios foram evacuados em diferentes áreas da capital


postado em 02/04/2018 11:24 / atualizado em 02/04/2018 13:53

 

(foto: Sarah Peres/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Sarah Peres/Esp. CB/D.A Press)

Diversos brasilienses relataram os momentos de pânico vividos nos poucos segundos em que um terremoto na Bolívia causou reflexos na capital federal na manhã desta segunda-feira (2/4). Um deles foi o auxiliar administrativo Jack Gôd, 27 anos, que trabalha no 6º andar do prédios Palmares, no Setor Comercial Sul (SCS). Ele trabalhava quando sentiu o edifício tremer "intensamente". "Senti o prédio tremer com uma certa intensidade. Nisso, mais duas colegas disseram que também sentiram. Por causa da situação, me senti enjoado. A chefe do departamento, que também sentiu o tremor e achou melhor sairmos do prédio, junto com o restante das pessoas", relatou.

O funcionário público Leonardo Santana, 40, também trabalha no 6° andar do Edifício Palmares, e sentiu o chão tremer. "Eu estava trabalhando normalmente, inclusive em uma ligação telefônica, quando senti o tremor. Eu só desliguei o telefone, sem me despedir ou avisar, algo de impulso. Peguei o que podia e fui saindo pela escada, chamando colegas. Nesse momento da saída, senti outro tremor. Foi tenso", relatou.

 

Luciana Castro:
Luciana Castro: "senti um vai e vem de leve. Foi coisa de segundos" (foto: Arquivo Pessoal)
A jornalista Luciana Castro estava Edifício Bandeirantes, também no SCS. Ela relatou que, por conta da apreensão das pessoas, todos foram liberados do expediente. "Eu estava fazendo uma pesquisa na internet e com a mão no queixo. De repente eu senti um vai e vem de leve. Foi coisa de segundos. A princípio eu pensei que era minha pressão, uma tontura. Só depois percebi que já era o abalo no prédio.  Logo tocou o alarme para evacuação."

 

A arquiteta Lúcia Barbosa, que trabalha na Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação (Segeth), afirma que em alguns andares do prédio, como no terceiro, era possível ver algumas mesas tremendo e alguns colegas sentiram mal estar. "Eu estava em uma reunião, que foi interrompida para avisar que o prédio deveria ser evacuado calmamente. O prédio está interditado até amanhã para ser analisado."

Carolina Moura: Achei que estava tonta e fiquei me segurando à mesa(foto: Arquivo Pessoal)
Carolina Moura: Achei que estava tonta e fiquei me segurando à mesa (foto: Arquivo Pessoal)
A jornalista Carolina Moura, que trabalha em uma empresa de clipping na Quadra 2 do Setor Bancário Sul (SBS), conta que teve uma sensação forte de "tontura" no momento do tremor. "Achei que estava tonta e fiquei me segurando à mesa. Avisei a uma colega que estava passando mal e ela respondeu que estava se sentindo mal também", relatou. A profissional afirma que o tremor durou apenas alguns segundos, tempo suficiente para deixar as cerca de 10 pessoas que trabalham no local assustadas. No entanto, ninguém precisou deixar o prédio.

 

A contadora Rosa Diná Gomes estava no 14° andar do Edifício Márcia, no Setor Comercial Sul trabalhando quando sentiu seu corpo tremer na cadeira. Ela conta sentiu tonturas e outras pessoas que estavam no mesmo andar ficaram apavoradas e começaram a gritar. "Mesmo durante o tremor, já começamos a descer de escada, desesperados. Quando ligamos para os bombeiros, fomos informados que eles tinham recebido outras ligações em varias áreas", relata. 

 

No Setor de Indústrias Gráficas (SIG), várias pessoas também ficaram nas ruas. "Aqui embaixo a gente não sentiu nada, só vimos as pessoas saindo", conta a recepcionista Ana Karolina César, 28 anos. De acordo com ela, a maioria das pessoas não aparentava estar assustadas, mas estavam um pouco perdidas com a situação. O incidente aconteceu por volta das 11h e, 20 minutos depois, os funcionários já haviam retornado para as salas.

 

"Senti a cama balançar"

 

Na CNB 8, a advogada Ana Paula Boaventura, 35 anos, disse que em um primeiro momento pensou que o tremor era só impressão. “Eu ainda estava deitada na cama quando senti a cama balançar e a parede ao lado também. Durou alguns segundos e o prédio não chegou a ser esvaziado, mas a sensação é de medo”, conta. O técnico em informática Henrique Gelenske, 29 anos, também sentiu a terra tremer na CNB 11. “Estava trabalhando, quando a mesa começou a balança como se tivesse solta. A cadeira também balançou. Foi tudo muito rápido”, diz. Segundo ele, a rotina não foi afetada.

 

Ver galeria . 15 Fotos Setor Comercial Sul, em BrasíliaMinervino Junior/CB/D.A Press
Setor Comercial Sul, em Brasília (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )

"Não sentimos nada"

 

Nem todo mundo sentiu o tremor. Mesmo trabalhando no sétimo andar do prédio da Controladoria-Geral da União (CGU), no Setor de Autarquias, o administrador Marcos Paulo Jerônimo dos Santos, de 25 anos, soube do terremoto através dos brigadistas. "Eu trabalho do lado esquerdo do prédio, e lá não sentimos nada, mas todas as pessoas que trabalham do lado direito sentiram", conta. Segundo ele, os elevadores foram desativados e todos os servidores evacuaram o prédio usando escadas. Não houve pânico. O local foi vistoriado e os funcionários devem voltar para cumprir o expediente às 13h.

A Joyce Mendonça, de 36 anos, estava no trabalho quando aconteceu o tremor, mas também não sentiu nada. Joyce faz estágio no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), no Setor Comercial Sul, e foi orientada a deixar o prédio. "No início nós achávamos que era só o nosso prédio, até que vimos um monte de gente embaixo dos prédios ao lado", conta. 

 

Prédios interditados pela Defesa Civil

 

O prédio da Terracap foi uma das estruturas que sentiram o tremor. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, os funcionários deixaram o local por volta das 11h desta manhã, após sentir os tremores, principalmente no terceiro e quarto andar. Para garantir a segurança dos funcionários, o ponto foi liberado na parte da manhã. O local deve ser liberado após avaliação da Defesa Civil.

 

O tremor foi sentido em diversas partes da cidade. Para garantir a segurança, alguns prédios do Setor Comercial Sul e do Setor de Indústria Gráficas foram evacuados. Entre eles, o da Infraero e da Terracap. O prédio da Anvisa, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), também foi evacuado. Segundo a Universidade de Brasília, o tremor é um reflexo de um terremoto na Bolívia de magnitude 6.7.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade