Publicidade

Correio Braziliense

Volume de chuvas em março foi 14% maior que a média, segundo Inmet

Previsão é de que a chuva continue no DF nas duas primeiras semanas de abril


postado em 02/04/2018 16:23 / atualizado em 02/04/2018 22:26

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 
O Distrito Federal registrou em março um volume de chuvas 14% maior do que a média. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no mês passado choveu 241,5 mm, enquanto a média para o período é de 211,8 mm. E a previsão do instituto é de que as primeiras duas semanas de abril sigam a mesma tendência. Pelo menos nesta primeira semana, deve chover todos os dias.

Na segunda semana de abril, as chuvas devem ficar menos frequentes e aparecerem mais em forma de pancadas. Já na segunda quinzena do mês, a tendência é que elas comecem a desaparecer, anunciando o período da seca.

Depois de dar as caras em abril, a seca vai chegando gradativamente, até se revelar por completo em junho — mês de maior estiagem do ano. Só para se ter uma ideia, o Inmet espera um acumulado de 133,4 mm em abril. No mês seguinte, essa previsão cai para 29,7 mm. Em junho, o esperado é de apenas 4,9 mm. Em julho e agosto — embora em menor nível — a seca se mantém, até o retorno da chuva, estimado para outubro.

Em relação à temperatura, o Inmet prevê que as mínimas fiquem mais baixas com a chegada da seca. Assim, a temperatura mínima, que em abril deve oscilar entre 18 e 19ºC, pode cair a faixa de 13 a 15ºC em maio e junho.

Reservatórios

A chegada do período de seca acende o alerta nos reservatórios que abastecem o DF. Apesar disso, atualmente, os dois sistemas — Descoberto e Santa Maria — operam em níveis bem acima do previsto pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). 

Nesta segunda-feira (2/4), o Descoberto atingiu 75,4% da capacidade, quando a meta para o período era de 65%. No ano passado, exatamente neste mesmo dia, o reservatório registrava um nível de 52,5%.

O volume atual está acima, inclusive, do que a Adasa esperava para maio. A previsão da Agência era iniciar o quinto mês do ano com 70% do Descoberto cheio. Depois, com a chegada da seca, a meta vai caindo gradativamente até chegar a 46%, no fim de agosto.

Já o de Santa Maria chegou nesta terça-feira a 48,9%, enquanto a meta estipulada era de 46%. Na mesma data do ano passado, o reservatório vivia situação melhor, com 51,6% de sua capacidade preenchida.

Para maio, a previsão da Adasa é que o reservatório chegue a 50%. Em seguida — assim como acontecerá com o Descoberto —, a meta vai sendo reduzida até 40%, também no fim de agosto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade