Publicidade

Correio Braziliense

Acidente entre dois caminhões deixa duas pessoas mortas na DF-003

Os veículos pararam no canteiro da via e ficaram completamente destruídos


postado em 03/04/2018 09:24 / atualizado em 05/04/2018 12:34

Ver galeria . 8 Fotos Dois ônibus colidem na BR-020 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Dois ônibus colidem na BR-020 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )
Duas pessoas morreram e uma ficou ferida após colisão seguida de capotagem envolvendo uma betoneira e um caminhão carregado com móveis planejados na DF-003, próximo a Granja do Torto. O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a ocorrência por volta de 8h desta terça-feira (3/4).  
 
Dois funcionários de uma empresa de concretagem estavam em um caminhão betoneira, onde seguiam de Sobradinho para Ceilândia. A poucos quilômetros do Balão do Torto, o motorista Valme Gonçalves Pereira, 58 anos, perdeu o controle do veículo, e colidiu com pelo menos outros dois automóveis antes de capotar em uma vala às margens da pista. 
 
Valme morreu na hora. O passageiro do caminhão, o auxiliar de serviços gerais Ataniel Matias Jurema, 20, chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos. Antes de tombar, a betoneira atingiu outro caminhão. O motorista do veículo, Elmiro da Rocha Silva, 50, foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e transportado para o Instituto Hospital de Base. O seu caminhão ficou completamente destruído, assim como os móveis planejados que ele estava carregando. Apesar dos estragos, seu estado de saúde é estável. 
 
O Montana do administrador de empresas Hiyury Barros, 37, ficou com a lateral direita bastante danificada. Segundo ele, o acidente poderia ter deixado mais vítimas. “Eu estava na faixa do meio, e quando olhei no retrovisor, vi que a betoneira tinha desviado de um ônibus. Ela estava em alta velocidade. Só deu tempo de eu trocar para a faixa da esquerda. A betoneira passou entre o meu carro e o ônibus, e destruiu a lateral do meu carro. Depois disso, ela se desgovernou e capotou. Se eu não tivesse trocado de faixa, teria sido empurrado para longe”, contou.

Os dois sentidos da rodovia ficaram congestionados. Para quem seguia rumo ao Plano Piloto, o engarrafamento foi de aproximadamente 10km. Os destroços dos veículos ficaram espalhados por uma área de aproximadamente 50 metros. As imagens do ocorrido mostram que os caminhões pararam no canteiro e ficaram completamente destruídos.    

 

Dor


Assim que soube do acidente, a esposa de Ataniel, Iônica Alves, 21, não acreditou que o marido estava envolvido. “Ele nunca havia trabalhado com a betoneira. Sempre usava um caminhão que saía mais cedo”, disse. Segundo ela, ontem os dois estavam completando 10 meses de casamento. “Estávamos juntos há 1 ano e 10 meses. Não tinha pessoa melhor no mundo. Ele era tão preocupado comigo e com todos”, lamentou.
 
O sonho dos dois era construir a própria casa. Para isso, Ataniel sempre procurava um emprego para a esposa. “Estávamos planejando fazer a nossa casa em dezembro. Ele procurava emprego para mim, porque seria mais fácil para nós construirmos. A mãe dele queria tanto ser avó. Quando nós tivéssemos a nossa casa, íamos ter os nossos filhos”, lembrou.
 
Acidente causou congestionamento na via(foto: Marcelo Ferreira/CB/DA Press)
Acidente causou congestionamento na via (foto: Marcelo Ferreira/CB/DA Press)
 

A mãe da vítima, a cozinheira Juvenilde Matias, 46, foi uma das últimas pessoas a se despedir de Ataniel. “Fui para a parada de ônibus junto com ele. Pedi para ele ter cuidado. O meu filho era um menino muito bom. Não queria perdê-lo por nada nesse mundo. Vou sentir falta de tudo”, relatou, aos prantos. Ataniel estava no trabalho há oito meses, e Juvenilde queria que ele mudasse de emprego porque acha a rodovia perigosa. “Toda vez que via um acidente, ficava com medo de acontecer com o meu filho”, explicou.

A tia de Ataniel, a doméstica Gildeci Maia, 68, havia o visto pela última vez há duas semanas, mas sempre conversava com o sobrinho pelo celular. “Ele era amigo de todos. Uma ótima pessoa. Perdemos um pedacinho de nós. Vamos sentir saudades pelo resto da vida. Nunca mais vamos estar inteiros”.

O sofrimento também foi grande para o filho de Valme, o técnico hospitalar Hairton Souza Gonçalves, 32. “Nossa relação sempre foi tranquila. No que eu precisasse, ele sempre estava lá. O meu pai era uma pessoa muito boa”, contou. Valme estava atrás de um emprego fixo, e fazia diárias como motorista. “Está tudo uma bagunça. Não consigo acreditar”, relatou Hairton.

Acidentes


De 2009 até o mês passado, 189 acidentes com morte aconteceram na Epia, segundo dados do Departamento de Trânsito (Detran/DF). A rodovia é a segunda mais fatal de Brasília, ficando atrás apenas da Estrada Parque Contorno, que no mesmo período registrou 290 acidentes com morte. De acordo com o superintendente de trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF), Cristiano Cavalcante, o órgão faz frequentes fiscalizações na rodovia.
 
“Reduzimos o limite máximo de velocidade para 70 km/h para os veículos leves, e para 60 km/h para os veículos pesados. Aumentamos o número de câmeras de monitoramento e de barreiras eletrônicas. Além disso, recomendamos aos motoristas de carretas e caminhões que dirigam exclusivamente pela faixa da direita”, comentou.
 
Segundo ele, o constante número de acidentes na rodovia se deve ao estado de conservação dos veículos. “Infelizmente, os proprietários de automóveis não se atentam às condições dos pneus ou dos freios. Isso tem nos preocupado. 80% dos acidentes que acontecem na Epia são por causa disso. Portanto, pedimos aos motoristas que se conscientizem quanto à importância da manutenção. Além disso, que eles respeitem a velocidade e as sinalizações da via”, concluiu. 
 
O superintendente disse ainda que as obras da Ligação Torto-Colorado, que consistem na construção de uma pista marginal à DF-003 e de novos acessos, podem contribuir para o fluxo de veículos da Epia, e consequentemente, para a dimunição de acidentes. “A previsão é de que eles sejam finalizadas até dezembro. Cerca de 100 mil motoristas vão ser beneficiados, entre eles os condutores de veículos pesados”, afirmou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade