Publicidade

Correio Braziliense

VÍDEO: mulher transexual é espancada em lanchonete de Taguatinga Norte

Vítima acusa os agressores de agirem por preconceito, pois ela é transexual. "Vira homem e cria vergonha na cara", disse um deles


postado em 03/04/2018 15:50 / atualizado em 03/04/2018 15:55

Cerca de seis pessoas se juntaram para espancar uma mulher dentro de uma lanchonete de Taguatinga Norte. O crime teria sido motivado porque a vítima é transexual. As agressões aconteceram na madrugada de domingo (1º/4), quando Jéssica Oliveira, 28 anos, voltava do trabalho.   
 
A vítima conta que os agressores estavam do outro lado da rua, na avenida Hélio Prates, quando começaram os xingamentos. "Um deles veio de bicicleta e tentou pegar minha bolsa, mas eu falei que não passaria. Ele ficou furioso e falou que ia me matar a facadas", afirma. Jéssica comenta que o suspeito saiu e voltou com mais pessoas. "Fiquei assustada e corri para a lanchonete. Mas eles vieram atrás e começaram a me agredir." 
 
As imagens de segurança do estabelecimento mostram os suspeitos invadindo o local e agredindo a vítima. Eles usam uma pedra, um pedaço de madeira e até a cadeira do estabelecimento para bater nela. Os atendentes e um cliente que estavam no local não prestam auxílio à mulher, que tenta se defender dos golpes, mas chegaram a acionar a polícia. "Eu ia morrer ali, porque eles queriam me matar e só miravam na minha cabeça. Eles falaram para eu criar vergonha na cara e virar homem", diz.   
 
 
 
Para Jéssica, o crime foi motivado por preconceito. "Eles não levaram nada meu. Eu estava com dinheiro e bolsa. Eles só queriam me bater", afirma. Ela ainda reforça que essa não é a primeira vez que ela é agredida por preconceito.  
 
Após o crime, a vítima foi à 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) e registrou ocorrência. Ela conta que passou por exames no Instituto de Medicina Legal (IML) e aguarda a prisão dos envolvidos. A Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom) confirmou a ocorrência e informou que a 17ª DP (Taguatinga Norte) investigará o caso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade