Publicidade

Correio Braziliense

Estações do Metrô-DF amanhecem fechadas após corte de cabos

O corte de cabos de cobre e de fibra óptica interrompeu a circulação de trens entre as estações Arniqueiras e Central. Por causa do problema, DER liberou as faixas exclusivas para ônibus na EPTG e EPNB


postado em 09/04/2018 06:59 / atualizado em 09/04/2018 14:12

Os trens só estão circulando entre as estações Arniqueiras e Samambaia e entre Arniqueiras e Ceilândia(foto: Minervino Junior/ CB/D.A Press)
Os trens só estão circulando entre as estações Arniqueiras e Samambaia e entre Arniqueiras e Ceilândia (foto: Minervino Junior/ CB/D.A Press)


O metrô do Distrito Federal foi interditado entre as estações Arniqueiras e Central na manhã desta segunda-feira (9/4) por causa de corte dos dos cabos de cobre e de fibra óptica que interligam as estações Shopping e Feira durante a madrugada. Após o problema, o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) liberou as faixas exclusivas para carros e motocicletas comuns até às 23h59 de hoje. A medida vale para as pistas na Estrada Parque Taguatinga-Guará (EPTG) e na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). O Departamento Nacional de Trânsito (Detran) do Distrito Federal também liberou suas faixas exclusivas da W3 Sul e Norte e do Setor Policial Sul.

Segundo a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF), os trens só estão circulando entre as estações Arniqueiras e Samambaia e entre Arniqueiras e Ceilândia. Nos demais trechos, não havia comunicação entre "o trem, a via e o centro de controle", informou a assessoria de imprensa. Da estação Guará até a Central, todas as estações estavam fechadas. 

Estações amanheceram com avisos de interrupção do metrô(foto: Minervino Junior/ CB/D.A Press)
Estações amanheceram com avisos de interrupção do metrô (foto: Minervino Junior/ CB/D.A Press)


A companhia ainda não informou a quantidade de cabos cortados, nem quanto prejuízo isso representa. Também não há previsão de normalização das atividades do metrô. Uma equipe de funcionários trabalha desde às 6h da manhã para resolver o problema.

Trânsito


A paralisação das atividades do metrô complicou a vida de quem depende do serviço. Na EPTG o fluxo é intenso. Em alguns trechos, a velocidade máxima não passa dos 20 km/h, por volta das 8h30 da manhã. Quem pretende usar os ônibus, também precisa ter paciência, já que as paradas amanheceram lotadas.

Segundo o site do DFTrans, há duas linhas de ônibus que saem de Águas Claras com destino ao Plano Piloto, a 306.1, que vai de Taguatinga até a Rodoviária, e a 305.4, que sai de Taguatinga Sul e vai atéo Setor Terminal Norte. No site do órgão é possível conferir todos os horários dos ônibus das 31 Regiões Administrativas do DF.

Greve


Os metroviários decidiram, em assembleia na noite de domingo (8/4), por uma greve a partir de meia-noite de 16 de abril. A categoria reivindica reajuste salarial, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do DF (Sindmetro-DF). Antes disso, uma nova assembleia deve ser realizada, no dia 15 de abril. 
 
No fim do ano passado, os metroviários fizeram uma greve que durou 40 dias. A categoria só voltou a trabalhar depois de uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), em 19 de dezembro de 2017.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade