Publicidade

Correio Braziliense

H1N1: Secretaria de Saúde de Goiás divulga novo relatório da doença

A campanha de vacinação contra a gripe está prevista para começar a partir da segunda quinzena de abril


postado em 09/04/2018 20:22 / atualizado em 09/04/2018 20:22

Ao menos cinco pessoas morreram vítimas de H1N1 em Goiás este ano(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Ao menos cinco pessoas morreram vítimas de H1N1 em Goiás este ano (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
 
Ao menos cinco pessoas morreram vítimas de H1N1 em Goiás este ano. A região está em alerta para epidemia da doença. A Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) deve divulgar novo boletim de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) nessa terça-feira (10/4). O relatório mostrará se foram registados novos casos, tanto de óbito como de contágio.  
 
Com o registro das doenças, a SES-GO solicitou ao Ministério da Saúde a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe, que estava prevista para começar em 16 de abril, mas precisou ser adiada para o dia 23 do mesmo mês. De acordo com a assessoria de comunicação da secretaria, a pasta ainda não confirmou a data do envio. 
 
Em nota, o Ministério da Saúde informou que o cronograma da campanha de vacinação é adaptado conforme a produção e entrega do imunobiológico e antes do período de sazonalidade da doença, que acontece no inverno, em junho. "A campanha de vacinação contra a influenza deste ano está prevista para iniciar na 2ª quinzena de abril, mesmo período do ano passado e assim como ocorre todos os anos. Assim, a população ficará prevenida em tempo, evitando casos graves e mortes pela doença", frisou o texto.  
 
O órgão ainda reforça que os laboratórios produtores da vacina começam a produzir as doses a partir de setembro do ano anterior à campanha, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) autoriza a produção do imunobiológico. Isso ocorre pela necessidade de avaliar quais cepas mais circulam no hemisfério sul no ano anterior e, após análise, adaptar a vacina. A produção da dose leva cerca de seis meses, somado a processos administrativos e jurídicos, que aprovam o contrato de compra para posterior distribuição aos estados.
 

Morte por H3N2 

 
Das mortes, duas ocorreram em Goiânia, outras duas em Trindade e uma em Jaupaci. O relatório do órgão ainda mostra que uma pessoa morreu por H3N2 e outras 35 por variações da Srag. Entre as vítimas, estava o pediatra Luiz Sérgio de Aquino Moura, 57 anos. Ele permaneceu internado no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), mas não resistiu à doença e morreu em 1º de março. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) identificou na quinta-feira o H1N1 como a causa da morte.    

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade