Publicidade

Correio Braziliense

Oito vírus da gripe estão circulando no DF; 164 pessoas foram internadas

Dados estão no mais recente boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde. Diretora de Vigilância Epidemiológica garante que não há motivo para pânico


postado em 10/04/2018 15:52 / atualizado em 10/04/2018 15:53

Campanha de vacinação contra a gripe na capital começa em 23 de abril(foto: Luis NovaEsp. CBD.A Press)
Campanha de vacinação contra a gripe na capital começa em 23 de abril (foto: Luis NovaEsp. CBD.A Press)

 
Pelo menos 164 pessoas foram hospitalizadas este ano com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), um agravamento da gripe. Uma criança menor de um ano morreu. Os dados foram obtidos pelo Correio e estão no mais recente boletim epidemiológico elaborado pela Secretaria de Saúde, que ainda não foi divulgado. Atualmente, oito vírus causadores da gripe estão circulando na capital federal. 

As autoridades sanitárias registraram adoecimentos causados pelos vírus sincicial respiratório (VSR), metapneumovírus, influenza A (H3N2), influenza B, influenza A (H1N1), adenovírus, parainfluenza 2 e parainfluenza 3. O micro-organismo que mais infectou brasilienses foi o VSR. Ao todo, 41 pessoas ficaram doentes. 

Em 68% dos casos, o doente tem menos de 1 ano de idade. Em 46,3% das internações por síndrome respiratória aguda grave, vírus respiratórios foram os causadores da enfermidade. Amostras de 35 pessoas ainda passam por análises laboratoriais para confirmar a causa do adoecimento. 
 

Primeiro caso de H1N1 


Nesta segunda-feira (9/4), a Secretaria de Saúde confirmou o primeiro caso de H1N1 em 2018. Uma criança - que não teve o nome, a idade nem o local de residência divulgados - ficou internada e se curou. Esse é o primeiro caso em dois anos. Nenhum morador do DF teve a doença em 2017. Contudo, em 2016, foram registrados 133 casos, com 17 mortes.

Uma gestante contraiu o vírus influenza A (H3N2). Ela se curou. Este vírus causou um surto nos Estados Unidos este ano. Mais de 47 mil pessoas, sobretudo crianças e idosos, adoeceram. Segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, 13 unidades da Federação registraram hospitalizações pelo H3N2. 
 

Campanha de vacinação 

 
Apesar dos casos, a diretora da Vigilância Epidemiológica do DF, Maria Beatriz Ruy, explica que não há motivo para pânico. “Monitoramos os casos de gripe desde o começo do ano. Fazemos isso por que Brasília recebe muitos viajantes passam por aqui. Não há motivo para alarde”, garante. 

Maria Beatriz destaca que o essencial neste momento é se preocupar com a higiene das mãos, evitar tocar olhos, boca e nariz, evitar locais com aglomeração de pessoas e compartilhar talheres. A campanha de vacinação na capital começa em 23 de abril, com 777 mil doses do Ministério da Saúde.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade