Publicidade

Correio Braziliense

Agentes penitenciários flagram túnel que daria fuga a detentos de Luziânia

Presos que cumprem pena no regime fechado por assalto, homicídio e tráfico de drogas estavam cavando um túnel dentro da cela; sindicância vai apurar como ferramentas chegaram até os detentos


postado em 10/04/2018 19:13 / atualizado em 10/04/2018 19:17

Agentes penitenciários conseguiram frustrar o plano de fuga antes da construção total do túnel(foto: Reprodução/DGAP)
Agentes penitenciários conseguiram frustrar o plano de fuga antes da construção total do túnel (foto: Reprodução/DGAP)


Um túnel que abriria espaço para a fuga de detentos da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Luziânia, a 60 km de Brasília, foi descoberto nesta terça-feira (10/4), informou em nota a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Segundo a pasta, a escavação estava sendo feita na Ala B, cela 4, onde 18 detentos do regime fechado cumprem pena por crimes de assalto, homicídio e tráfico de drogas. 

De acordo com a DGAP, presos de outras três celas também pretendiam usar o buraco para fugir da penitenciária. O túnel estava em fase inicial de construção. Os agentes penitenciários conseguiram desmantelar o plano de fuga após receberem informações do serviço de inteligência. A pasta abriu uma sindicância para apurar como ferramentas chegaram até os presos. Segundo a diretoria, os detentos responder por medidas disciplinares.

Outras fugas


Em 6 de janeiro deste ano, dez detentos conseguiram escapar de outra penitenciária na cidade, o Centro de Inserção Social (CIS). O preso responsável pela limpeza do corredor e distribuição da comida para outros internos conseguiu serrar e quebrar os cadeados de uma das celas do centro. A grade de contenção do pavilhão também foi danificada e os detentos fugiram durante o banho de sol. 

Um vídeo mostra os presos fugindo do local. Nas imagens, dois deles forçam a barra de uma das celas para retirá-la. Com sucesso, em seguida, o grupo passa pelo gradil e segue em fuga. 



A fuga ocorreu na mesma semana em que presos se rebelaram três vezes no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Em um dos motins, nove internos morreram e 14 ficaram feridos. Ainda na mesma semana, dois agentes prisionais de Anápolis foram assassinados após saírem do trabalho e um preso foi encontrado morto dentro da penitenciária da cidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade