Publicidade

Correio Braziliense

Quadrilha é presa em flagrante após roubar 16 iPhones em loja do Lago Sul

Criminosos foram detidos pela Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), da Polícia Civil. Grupo havia roubado 16 iPhones


postado em 12/04/2018 14:58 / atualizado em 12/04/2018 14:58

Celulares roubados foram estimados em quase R$ 60 mil(foto: Reprodução/PCDF)
Celulares roubados foram estimados em quase R$ 60 mil (foto: Reprodução/PCDF)
 
Quatro homens foram presos na noite desta quarta-feira (11/4) após roubarem uma loja de celulares no Gilberto Salomão, no Lago Sul. Os criminosos levaram 16 aparelhos da marca iPhone e foram detidos em flagrante por uma equipe da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), da Polícia Civil, assim que deixaram o estabelecimento.

Foram presos Misael Gabriel de Souza Barbosa, 21 anos, Jhonatan Rodrigues Soares, 20, Nycolas Pessoa Rosa, 18, e Thiago Rodrigues de Alcântara, 18. Os quatro vão responder por roubo a estabelecimento comercial e associação criminosa. Misael e Thiago já tinham antecedentes. O primeiro por roubo e tentativa de latrocínio e o segundo por furto qualificado. Ambos estavam em liberdade provisória.

De acordo com o coordenador da Corpatri, o delegado-chefe Marco Aurélio de Souza, Misael era conhecido na prática desse crime. "O proprietário da loja afirmou que esta foi a terceira vez que o seu estabelecimento foi roubado. Ao ver um dos presos, ele reconheceu um dos envolvidos (Misael) como o autor de um dos assalto que aconteceu no início do ano", explicou. 

Os celulares roubados eram dos modelos iPhone X, 4, 6, 7, 7 Plus e 8. Os aparelhos são avaliados em quase R$ 60 mil. Além dos eletrônicos, policiais apreenderam um simulacro de pistola e o veículo utilizado pelos criminosos, um Citröen/C4 Pallas. O carro passará por perícia e os documentos serão avaliados para ver se o automóvel foi clonado.

A ação da quadrilha foi por volta das 20h. Misael e Thiago entraram na loja no momento em que ela estava sendo fechada pelos funcionários. Do lado de fora, Nycolas fez o papel de "vigilante" para avisar aos comparsas caso algum segurança ou policial aparecesse. Por sua vez, Jhonathan ficou no veículo.

Uma equipe da Corpatri se deslocou até a loja depois de receberem uma denúncia, e perceberam a movimentação suspeita no interior do estabelecimento. "Eles começaram a colocar os celulares da vitrine dentro de uma mochila e ficamos observando de fora. Ao saírem, procedemos com a abordagem", comentou Marco Aurélio.

Segundo o delegado, o mesmo grupo pode ter participado de outros assaltos. "Vamos aprofundar as investigações em outros estabelecimentos onde eles possam ter praticado o crime. Temos fatos anteriores, e notamos que os suspeitos tinham a mesma maneira de agir e características parecidas aos assaltantes de ontem”, concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade