Publicidade

Correio Braziliense

Mostra exibe ilustrações cariocas que criticavam criação de Brasília

Mostra organizada pelo Arquivo Público do Distrito Federal exibe ilustrações publicadas em jornais cariocas que criticavam a transferência da capital do Rio de Janeiro para o Planalto Central


postado em 16/04/2018 06:00 / atualizado em 16/04/2018 00:18


Ilustração publicada no Tribuna da Imprensa, em 1958
Ilustração publicada no Tribuna da Imprensa, em 1958

Trabalho publicado no jornal Última Hora, em 1958
Trabalho publicado no jornal Última Hora, em 1958

Charge do Diário da Noite, um ano antes da inauguração de Brasília
Charge do Diário da Noite, um ano antes da inauguração de Brasília

Charge do Diário da Noite sugere haver só índio na nova capital
Charge do Diário da Noite sugere haver só índio na nova capital


Nem todos os brasileiros eram favoráveis à construção de Brasília. Os jornais da segunda metade dos anos 1950 e do início de 1960 publicavam críticas ferrenhas, inclusive com teor cômico. Principalmente os do Rio de Janeiro, a antiga capital. Em exposição que começa amanã, com evento de abertura às 19h, no Museu da República, o público poderá conferir ilustrações com esse teor, publicadas em jornais da época. O evento integra a programação oficial das comemorações dos 58 anos de Brasília, inaugurada em 21 de abril de 1960.

Entre charges, cartuns e caricaturas, as obras a serem expostas foram feitas por Hilde, Theo, Augusto Rodrigues e Brandão e publicadas no Diário de Notícias, na Tribuna da Imprensa, no Última Hora, no Correio da Manhã e no Diário da Noite — de 1957 a 1960, ano da inauguração da nova capital. “As charges são um retrato de como vai acontecendo a aceitação da mudança de capital”, observa Tereza Eleutério, gerente de acesso e difusão da Diretoria de Pesquisa do Arquivo Público do Distrito Federal. Além dos documentos, pertencentes ao Fundo Novacap do Arquivo Público, haverá a exibição de filmes sobre a construção da cidade e rodas de conversas com historiadores que possuem estudos sobre a história local.

A idealização do projeto aconteceu em 1998, quando Georgete Medleg Rodrigues, curadora da exposição, atuava como gerente cultural no ArPDF, então dirigido por Walter Melo. A pesquisa começou para auxiliá-la na tese que produzia durante o mestrado em história. Por ter tomado posse no corpo docente da Universidade de Brasília (UnB), onde trabalha até hoje como professora no curso de arquivologia e na pós-graduação em ciência da informação, ela teve de suspender a iniciativa, retomada no fim do ano passado com apoio da atual equipe do órgão público.

O setor de divulgação da Novacap arquivou o material no período da construção de Brasília. “É curioso esse movimento de, ao mesmo tempo, fazer tudo para divulgar positivamente a obra, mas ter o cuidado de arquivar os discursos contrários, por meio de clippings”, ressalta Georgete. No projeto original, o objetivo era expor todas as charges que depreciavam a construção, mas, devido aos direitos autorais, algumas ilustrações não puderam ser incluídas no catálogo.

A mostra também tem caráter educativo e lúdico, com a presença de animações produzidas em mapeamento digital. “Ao mesmo tempo em que as charges criticam a construção, uma linha do tempo vai mostrando as etapas que antecederam as obras e os momentos decisivos que marcaram as ações do governo JK para concluí-la”, explica a curadora. Georgete almeja que, na comemoração dos 60 anos de inauguração de Brasília (em 2020), possa ser criado um projeto que “apresente as diversas facetas da cidade e dos atores e habitantes, desde a criação até os dias atuais”.

PROGRAME-SE

» Do risco ao riso: a construção de Brasília nas caricaturas da imprensa (1957-1960)

» Exposição de ilustrações – charges, cartuns e caricaturas, publicadas em jornais com críticas à mudança da capital para Brasília, com curadoria de Georgete Medleg.

» Museu da República (Eixo Monumental). De 18 de abril a 6 de maio, das 9h às 18h. Abertura amanhã, às 19h.

» Entrada franca.

» Classificação indicativa livre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade