Publicidade

Correio Braziliense

Hospital Sírio-Libanês inicia obras de instalação da nova unidade no DF

A nova unidade de saúde vai contar com 144 leitos, seis salas de cirurgia e uma de pronto atendimento. Ele será inaugurado em novembro, na Asa Sul


postado em 26/04/2018 08:48 / atualizado em 26/04/2018 13:36

Unidade do Sírio-Libanês em São Paulo: novo hospital de Brasília terá mesma estrutura ou superior(foto: Andre Penner - 26/2/08)
Unidade do Sírio-Libanês em São Paulo: novo hospital de Brasília terá mesma estrutura ou superior (foto: Andre Penner - 26/2/08)

Anunciada há cerca de duas semanas, as obras para a instalação do Hospital Sírio-Libanês Brasília começam nesta quinta-feira (26/4). Na cerimônia, prevista para as 15h, será lançada a pedra fundamental da unidade de saúde, que marcará o início do projeto. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, autoridades do DF e representantes da instituição médica estarão presentes. 

Referência no país em atendimento médico de qualidade, O Sírio-Libanês inicia um dos passos mais importantes de sua história. A previsão é de que a nova unidade do grupo comece a funcionar a partir de novembro. Os investimentos chegam a R$ 260 milhões e a expectativa é de que mais de 500 empregos sejam gerados.  

É o primeiro hospital completo do Sírio fora de São Paulo e o maior investimento da rede em muito tempo. Segundo o médico Gustavo Fernandes, diretor-geral da nova unidade, a escolha dele em chefiar a operação brasiliense expõe a preocupação do Sírio em preservar seus padrões de qualidade. Fernandes foi presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica e é um dos grandes especialistas brasileiros nessa área.

O novo hospital vai contar com mais de 30 mil metros quadrados, 144 leitos, sendo 31 de Unidades de Terapia Intensivas (UTI), seis salas de cirurgia e uma de pronto atendimento. O local escolhido para a unidade de saúde é um edifício que já possui estrutura e fachada construídas para abrigar as instalações. 
 
A unidade também terá um centro de diagnósticos para análises clínicas de imagem. Os centros cirúrgicos terão aparelhos para cirurgias robóticas e ressonâncias intra-operatórias, com tecnologia capaz de dar melhores diagnósticos.  

Brasília foi a primeira cidade a receber uma unidade do Sírio-Libanês, em 2011, com a inauguração do Centro de Oncologia, localizado na Asa Sul. Hoje, o local realiza mais de 2,7 mil atendimentos por mês. Em 2014, a instituição inaugurou outro Centro de Oncologia, no Lago Sul. Essa unidade tem a média de 1,1 mil atendimentos mensais. Além desses centros, em 2016, a capital recebeu o Centro de Diagnósticos, também localizado na Asa Sul, que realiza mais de 6 mil exames por mês.  

Embora a decisão de fincar bandeira em Brasília tenha sido tomada há pelo menos dois anos, o hospital começou a sair do papel em meados de 2017. As obras de adaptação do edifício ficaram a cargo da construtora Engeform, que tem a área hospitalar como uma de suas especialidades. 

Estruturas superiores

Para não correr o risco de errar, o novo Sírio terá em Brasília equipamentos iguais ou até superiores aos de São Paulo. Segundo o diretor-geral Gustavo Fernandes, os centros cirúrgicos contarão com equipamentos para cirurgias robóticas e ressonância intraoperatória, tecnologia capaz de determinar, em exames de imagem, a real extensão de um tumor durante a operação.

Além de oncologia e hematologia, a nova unidade vai oferecer atendimento nas áreas de cardiologia, ortopedia e neurologia, entre outras especialidades. Além dos tratamentos já oferecidos para a rede particular, a unidade de Brasília deve ampliar também projetos sociais. 

Com informações de Amauri Segalla

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade