Publicidade

Correio Braziliense

Policial militar que matou ex-namorada em Ceilândia é preso em flagrante

O soldado Ronan Menezes do Rego, 27 anos, também é investigado por atirar contra um professor de academia na região


postado em 05/05/2018 09:01 / atualizado em 05/05/2018 19:44

O crime aconteceu na tarde dessa sexta-feira (4/5) na QNO 15, em Ceilândia(foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
O crime aconteceu na tarde dessa sexta-feira (4/5) na QNO 15, em Ceilândia (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
 
 
O soldado da Polícia Militar, Ronan Menezes do Rego, 27 anos, acusado de matar a ex-namorada com cinco tiros e ferir outra pessoa está preso. O crime aconteceu na tarde dessa sexta-feira (4/5) na QNO 15, quando o PM foi até a casa da vítima, Jessyka Laynara Silva, 25 anos, e a executou. Em seguida, um homem identificado como Pedro Henrique da Silva Torres foi atingido por três disparos de arma de fogo no interior de uma academia na EQNO 2/4. Testemunhas afirmaram que Ronan seria o atirador.
 
Segundo informações da Polícia Militar, Ronan se entregou no batalhão de Ceilândia por volta das 22h dessa sexta com a presença de uma advogada. Ele foi preso em flagrante e conduzido à 24ª Delegacia de Polícia (Ceilândia) e em seguida transferido para o 19º Batalhão da PMDF, localizado no Complexo Penitenciário da Papuda. A Polícia Civil abrirá inquérito para apurar o caso e Ronan responderá civil, penal e administrativamente.
 
Ainda de acordo com a PM, o acusado não explicou a motivação do crime e optou por ficar calado, deixando apenas a defesa responder as perguntas. 
 
O velório de Jessyca está marcado para ocorrer às 8h30 no Cemitério Campo da Esperança de Taguatinga nesse domingo (6/5). O sepultamento deve ocorrer às 11h30.  
 
Ver galeria . 29 Fotos Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
(foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press )
 
Pedro Henrique, a segunda vítima de Ronan, foi atingida no peito, na mão e de raspão na perna. Ele foi socorrido e transportado ao Hospital Regional da Ceilândia, onde passou por cirurgia e ficou em estado de saúde considerado crítico.  

Jessyka e o agressor namoraram por cerca de seis anos e chegaram a ficar noivos. De acordo com parentes, em um dos términos, a jovem chegou a ter outro relacionamento, mas Ronan ameaçou o rapaz e a família.  


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade