Publicidade

Correio Braziliense

Operação Afrodite: começa vistoria em motéis do DF para o Dia dos Namorados

Com a chegada da data, a ação da Defesa Civil busca checar a documentação e o estado de conservação dos equipamentos dos estabelecimentos


postado em 14/05/2018 22:32 / atualizado em 14/05/2018 22:36

(foto: Pedro Ventura/Agência Brasília )
(foto: Pedro Ventura/Agência Brasília )

 

A operação Afrodite, que pretende checar se os motéis do Distrito Federal oferecem segurança aos frequentadores, começou nesta segunda-feira (14/5). Com a chegada do Dia dos Namorados, em 12 de junho, o número de visitantes tende a aumentar. Com isso, a Defesa Civil pretende visitar 31 estabelecimentos, entre motéis e casas de suingue do DF. Além disso, também serão vistoriados, após os estabelecimentos tradicionais, os hotéis de fachada, usados como motéis.

 

A vistoria checa a documentação, o estado de conservação dos equipamentos e inspeciona itens como estrutura elétrica de todo o empreendimento, dispositivos de segurança, como extintores de incêndio e luzes de emergência, condição das cozinhas, acessibilidade, pisos, lavanderia, centrais de garagens e impermeabilização das banheiras. 

 

Se algum problema for encontrado, o responsável pelo motel será notificado e terá o prazo de 30 dias para fazer as correções apresentadas. Caso algo que represente ameaça imediata aos clientes ou aos funcionários for identificado, o local ficará interditado, parcialmente ou totalmente, até que os reparos sejam providenciados. Na vistoria desta segunda, os agentes visitaram dois motéis, um em Ceilândia e outro no Núcleo Bandeirante, ambos estavam com todos os itens em ordem.

 

Notificações em 2017 

 

No ano passado, de 32 estabelecimentos fiscalizados pela Defesa Civil na operação Afrodite. Desses, 11 motéis e uma casa de suingue receberam notificações para corrigir problemas. Mas, de acordo com o coordenador de Operações da Defesa Civil, tenente-coronel Sinfrônio Lopes, do Corpo de Bombeiros Militar do DF, em quatro anos de operação, nenhum dos estabelecimentos foi completamente interditado, e todos cumpriram as recomendações. “O segmento de motéis tem muita preocupação com a segurança. Eles não querem chamar atenção. Discrição é a palavra de ordem. Tanto é que fazem investimento muito grande em reformas”, aponta.

 

O coordenador reforçou, ainda, a importância de conscientizar a população sobre os cuidados que devem ser tomados, mesmo em local que atenda todas as normas. Secadores de cabelo, banheiras, piscinas e o consumo de álcool podem se tornar uma combinação perigosa. “Não são raros os acidentes. Há risco de queda e choque elétrico”, exemplificou.

 

Para fazer denúncias o cidadão pode ligar na Ouvidoria do GDF, telefone 162, ou para o número (61) 3362-1935, da Defesa Civil.

 

Com informações da Agência Brasília


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade