Publicidade

Correio Braziliense

Fiéis se reúnem em Taguatinga para o último dia da festa de Pentecostes

A expectativa da organização do evento é de que ao menos 700 mil pessoas compareçam ao evento


postado em 20/05/2018 18:45 / atualizado em 20/05/2018 18:52

Muitos se sentam na grama ou ficam de pé para acompanhar a celebração(foto: Antonio Cunha/CB/D.A. Press)
Muitos se sentam na grama ou ficam de pé para acompanhar a celebração (foto: Antonio Cunha/CB/D.A. Press)

 
Milhares de pessoas se reúnem para comemorar o último dia de Pentecostes. O evento começou no início da manhã deste domingo (20/5), no Taguaparque, em Taguatinga, e contou com música, reza de ave marias, shows e grandes demonstrações de fé. Mesmo com o frio deste domingo, a animação dos fiéis não se abala. A expectativa da organização do evento é de que ao menos 700 mil pessoas compareçam ao encontro. 

O Pentecostes simboliza o nascimento da Igreja Católica e é celebrado 50 dias após a Páscoa. O momento mais esperado da noite é quando os fiéis acendem as velas em busca de um milagre. Cada dia de evento, a vela tem um significado bíblico: o primeiro é o Pai, o segundo o Filho e o terceiro é o Espírito Santo. Neste domingo, um dos momentos mais importantes para os católicos, a cerimônia deve ocorrer após o fim da missa, que começou às 16h e está sendo celebrada pelo padre Moacir de Carvalho. Essa é a 20ª edição da festa. 

Para Lunamar Barbosa, 60 anos, o Pentecostes é um dia para buscar milagres. Ela frequenta o evento há 10 anos e conta que sempre foi católica. A relação com a igreja se transmite até mesmo na profissão. Ela trabalha nos serviços gerais da paróquia Santíssima Trindade, do Guará 2. “Esse dia significa muito. Ele é cheio de graças e bênçãos. O Espírito Santo é muito forte”, ressalta. 

Lunamar veio caracterizada com as cores do Brasil. De acordo com ela, os trajes simbolizam Nossa Senhora Aparecida, padroeira do país. “Eu desejo uma melhor situação para nosso país, tudo que seja de melhor”, comenta. Para ela, o momento mais esperado da noite é quando as velas são acesas. “Também estou em busca de um milagre”, comenta, emocionada. 

Veículos da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito (Detran) dão auxílio no local do evento. Os estacionamentos estão repletos de carros e os locais para sentar estão todos ocupados. Muitos se sentam na grama ou ficam de pé para acompanhar a celebração. Lojas que vendem itens católicos e uma praça de alimentação foram instaladas para atender o público.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade