Publicidade

Correio Braziliense

DF registra oito casos de feminicídio no primeiro trimestre de 2018

Outras 18 tentativas também foram registradas


postado em 24/05/2018 06:00

(foto: Editoria de arte/CB/D.A Press)
(foto: Editoria de arte/CB/D.A Press)


O Distrito Federal registrou, no primeiro trimestre de 2018, oito casos de feminicídio e 18 tentativas. O caso mais recente aconteceu na tarde de ontem. Wesley de Sousa Silva, 41 anos, é acusado de tentar matar a esposa a facadas. Ainda com a faca cravada nas costas, a mulher foi atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada ao Hospital Regional de Ceilândia.

O crime ocorreu no Sol Nascente, na residência do casal. A vítima teve o pulmão perfurado e passou por uma cirurgia que durou cerca de três horas. Wesley se escondeu na casa da irmã, em Ceilândia, onde foi preso por policiais militares e encaminhado à 24ª Delegacia de Polícia. O agressor foi autuado por tentativa de feminicídio.

Também ontem, mas de madrugada, uma jovem de 19 anos foi socorrida pela Polícia Militar em Samambaia, com lesões no nariz, na testa, nos joelhos e nos pés, feitas por seu namorado, um adolescente de 17 anos. O casal foi encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). O agressor também apresentava feridas, no joelho esquerdo e no pescoço.

Relação afetiva


Nos casos de tentativa de feminicídio, 67% das mulheres foram agredidas dentro de casa e o perfil dos agressores gira em torno da relação afetiva. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública e Paz Social do DF, dos 18 casos deste ano, 12 eram companheiros das vítimas, três eram ex-maridos, dois eram namorados e um, ex-namorado. Os assassinos tinham vínculo próximo às vítimas, cinco eram companheiros, dois eram namorados e um era filho. Cinco autores foram presos em flagrante e três se mataram após o crime. Das oito mulheres mortas, quatro tinham entre 30 e 50 anos, duas entre 18 e 29 anos e duas acima dos 50.

As regiões administrativas onde mais ocorreram crimes contra a mulher foram: Ceilândia, Planaltina e Recanto das Emas, cada uma com três ocorrências. Dada a natureza do crime e dos agressores, a vida das vítimas foi ameaçada em 11 vezes por arma branca, duas por arma de fogo e cinco por outros meios, como atropelamento e fogo.

* Estagiárias sob supervisão de Renato Alves
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade