Publicidade

Correio Braziliense

Reportagem do Correio Braziliense ganha VI Prêmio República

Correio vence pela 2ª vez o prêmio da ANPR pela série 'Césio 137: 30 anos de um inimigo invisível'


postado em 04/06/2018 20:01 / atualizado em 04/06/2018 20:32

O repórter Guilherme Goulart, da editoria de Cidades, recebeu o prêmio (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
O repórter Guilherme Goulart, da editoria de Cidades, recebeu o prêmio (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
 
 
A série de reportagens do Correio Braziliense, "Césio 137: 30 anos de um inimigo invisível", dos jornalistas Natália Lambert e Guilherme Gourlart, ganhou, nesta segunda-feira (4/6), o VI Prêmio República, organizado pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). A série investigativa foi publicada entre os dias 3 e 8 de setembro de 2017, e aprofundou as causas e as consequências do acidente que completou 30 anos e resultou na morte de, pelo menos, 66 pessoas, deixando outras 1,4 mil contaminadas. 

Ao todo, 125 iniciativas concorreram em quatro categorias como Ministério Público, Jornalismo, Responsabilidade Social e Advocacia de Direitos Coletivos. Ao todo,  12 jurados, convidados pela ANPR, analisaram as matérias jornalísticas. Foram levados em consideração a eficiência, o alcance social, a criatividade, o potencial de multiplicação e complexidade.

O presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti; a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge e a diretora da ONU Mulher, Nadine Gasman, estavam entre os convidados que julgaram os trabalhos. Robalinho destacou o papel crucial da imprensa na contribuição para a democracia. "A imprensa tem o papel na democracia e ajuda a destacar soluções para a construção de um país melhor. Por meio da divulgação de matérias e entrevistas, os jornalistas levam à população o conhecimento necessário sobre seus direitos, fazem denúncias e incitam a reação dos órgãos competentes em diversos casos”, disse o presidente da ANPR. 
 
Na categoria impresso, o Correio concorreu com duas reportagens do Estado de São Paulo: uma sobre universidades federais com denúncias por fraude em cotas e outra sobre uma investigação da MPF sobre mutilação juvenil. Guilherme Goulart, subeditor do caderno de Cidades, destacou que espera que o trabalho realizado atue como instrumento para que as vítimas jamais sejam esquecidas.

Outros prêmios

Em 9 de maio de 2017, a Associação Nacional dos Procuradores da República também concedeu ao Correio o Prêmio República de valorização do Ministério Público Federal, pela série de reportagens "#XôPrivilégio: hora de tirar os políticos da redoma". 

A série começou em 29 de outubro de 2016, após o foro impedir a continuidade da Operação Métis, que investigava a atuação de policiais legislativos na tentativa de impedir as investigações da Operação Lava-Jato, e a continuidade das reportagens fez com que o Senado desengavetasse um projeto de mudança na Constituição para acabar com o benefício.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade