Publicidade

Correio Braziliense

GDF nomeia 1.052 concursados para a Secretaria de Saúde

Esse quantitativo se refere às vagas que não foram ocupadas por outros profissionais, além de aposentadorias e exonerações


postado em 05/06/2018 00:02 / atualizado em 04/06/2018 20:15

As nomeações vão permitir a reabertura de serviços, como o da UTI do Hospital Regional de Santa Maria, garante o secretário de Saúde(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
As nomeações vão permitir a reabertura de serviços, como o da UTI do Hospital Regional de Santa Maria, garante o secretário de Saúde (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)


A contratação de 1.052 novos servidores vai reforçar os atendimentos da rede pública de saúde. Esse quantitativo se refere às vagas que não foram ocupadas por outros profissionais, além de aposentadorias e exonerações. Tomam posse, a partir desta terça-feira (5/6), médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, dentistas e auxiliares de dentistas, biomédicos, farmacêuticos, entre outros especialistas. Haverá, ainda, a contratação de 146 pessoas para o quadro administrativo. 

Essas contratações não causam impacto orçamentário, porque tratam de nomeações já autorizadas anteriormente, mas os profissionais não tomaram posse ou pediram exoneração. Entre as principais contratações, estão 130 pediatras e 62 anestesistas. Ao todo, 283 novos servidores são médicos.
 
Segundo o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, as nomeações vão permitir a reabertura de serviços, como o da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Santa Maria. “Sem dúvida, é um reforço importante, porque a nossa maior dificuldade é que médicos tomem posse. Historicamente é uma categoria que tem menor nível de interesse pelo setor público. Nossa remuneração é boa, mas o mercado de medicina é aquecido”, explicou.

Ele ressaltou que, do total de 13 mil médicos no Distrito Federal, 5 mil estão na rede pública. “A contratação de pediatra, por exemplo, é difícil em qualquer lugar e nós vamos conseguir chamar 130 especialistas nessa área, sem impacto orçamentário”, ressaltou. 

A expectativa do Governo do Distrito Federal (GDF) é chegar a 10 mil nomeados só na área de saúde, desde 2015. Até o momento, cerca de 8 mil pessoas aprovadas já tomaram posse. Segundo Humberto Fonseca, esses chamamentos têm garantido a abertura de leitos que estavam fechados. 

Todos os novos servidores chamados foram aprovados em concursos passados, mas que ainda estão dentro do prazo de validade. Ao todo, há quatro editais vigentes - três realizados em 2014 e que vão vencer em dezembro deste ano, e mais um, realizado no fim de 2017, que só vai expirar em 2020.
 
“Tenho convicção que essas nomeações de profissionais de especialidades diversas especialmente pediatras, anestesistas, neonatologistas, biomédicos, psiquiatras, radiologista e diversos técnicos e auxiliares contribuirão fortemente para a melhoria do atendimento na rede pública de saúde”, reforçou o governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB). 

 
Posse de 1.485 aprovados


Em 2 de maio, tomaram posse 1.485 outros profissionais aprovados em concursos entre 2014 e 2018. Ao todo, eram 295 médicos, sendo 108 pediatras, além de 256 enfermeiros e 767 técnicos de enfermagem. A contratação tinha previsão orçamentária de R$ 122 milhões, aprovados pela Câmara Legislativa do DF.

Em outubro de 2017, 836 servidores da área de Saúde também tomaram posse, após quase três anos de proibição de novas nomeações por causa da limitação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Além deles, houve contratação de mais 79 servidores na Fundação Hemocentro, 41 na área de cultura, 188 no Metrô-DF e 39 no Procon-DF.  

O impacto do chamamento dos profissionais em 2017 foi de R$ 23.148.823,69, segundo previsão feita pelo próprio GDF em outubro daquele ano. A expectativa anunciada pelo Executivo local era que, em 2018, o valor subisse para R$ 144.034.612. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade