Publicidade

Correio Braziliense

Após morte de pacientes, hospital libera corpo trocado aos familiares

Hagda Daiany tentou retirar o corpo do pai do necrotério na tarde deste domingo (10/6) e percebeu que ele havia sido levado por outra família


postado em 11/06/2018 00:40 / atualizado em 11/06/2018 08:47

Pedro Gabriel de Albuquerque, 80 anos, pai da estudante Hagda Daiany(foto: Arquivo pessoal)
Pedro Gabriel de Albuquerque, 80 anos, pai da estudante Hagda Daiany (foto: Arquivo pessoal)
Uma família de Sobradinho se surpreendeu neste domingo (10/6) ao tentar retirar o corpo de um paciente que morreu no Hospital São Mateus, no Cruzeiro Velho. A unidade de saúde liberou os corpos de dois idosos que estavam internados no local para famílias diferentes. Os parentes de um deles, acabaram levando o homem errado para enterro no Gama, o pai da estudante Hagda Daiany de Albuquerque. 
  
Ela conta que soube da morte de Pedro Gabriel de Albuquerque, 80 anos, na sexta-feira (8). Ao chegar ao necrotério, dois dias depois, quando estava previsto o velório, ela descobriu que ele havia sido levado por outra família. O segundo corpo envolvido na troca não chegou a sair do hospital.
 
Ao Correio, Hagda relatou o susto ao perceber o problema: "Ele havia sido deixado na primeira gaveta do necrotério quando registramos o óbito. No domingo, ao retirar o corpo, os funcionários da funerária puxaram a segunda gaveta. Achei estranho. Depois que abriram o saco do hospital, vi que não era meu pai".

Segundo ela, o corpo de Pedro Gabriel havia sido reconhecido por outra família. Ela conseguiu o contato dos responsáveis pela retirada e descobriu que três pessoas deixaram a unidade de saúde com o pai dela. "O hospital não conferiu nada. Os funcionários da funerária disseram que a neta do outro paciente chegou a beijar a testa dele", contou. "Foi negligência."

O caso foi registrado na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) e será investigado pela 3ª DP (Cruzeiro Velho). Enquanto Hagda Daiany e a família relatavam a ocorrência, o corpo foi devolvido pela funerária à unidade de saúde. Agora, a família aguarda para realizar o velório e a cremação de Pedro Gabriel nesta segunda-feira (11). "Foi um sofrimento que eu nunca esperava passar. Mas vamos levar esse caso à Justiça." 

A reportagem contatou a família que pegou o corpo do pai de Hagda Daiany por engano. A neta do outro paciente disse que prefere não comentar o caso. Segundo ela, que não quis se identificar, apenas amigos e parentes próximos sabem do ocorrido por enquanto. O corpo deve ser sepultado na manhã desta segunda-feira (11/6). O Correio ainda não conseguiu contato com a funerária Boa Esperança, que levou o corpo errado, nem com o Hospital São Mateus. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade