Publicidade

Correio Braziliense

Quadrilha de roubo de carga escondia produtos em galpão em Ceilândia

Segundo a PM, a quadrilha usava bloqueador de sinal para evitar o rastreamento da carga. O grupo roubava no DF e em Goiás e agia com "extrema violência"


postado em 11/06/2018 11:01 / atualizado em 11/06/2018 14:45


Quatro pessoas - três homens e uma mulher - foram presos por roubo de carga em Goiás e no Distrito Federal. Eles integravam uma quadrilha com cerca de dez pessoas, especilizada no crime. As polícias já idenficaram os outros suspeitos (de Goiás, do DF e do Piauí) e trabalham para localizá-los e prendê-los. Segundo o capitão da PM de Goiás, Edinailton Pereira de Souza, a investigação começou na cidade de Anápolis (GO) há cerca de quatro meses. No município, agentes abordaram um envolvido na entrega das mercadorias. 

Quadrilha de roubo de cargas tinha base em Águas Lindas e escondia mercadoria em Ceilândia(foto: DIVULGAÇÃO//PMDF E PMGO)
Quadrilha de roubo de cargas tinha base em Águas Lindas e escondia mercadoria em Ceilândia (foto: DIVULGAÇÃO//PMDF E PMGO)
Todos os suspeitos têm antecedentes criminais, pricipalmente por roubo de carga. Um deles, já detido, estava, inclusive, com mandado de prisão em aberto por roubo a carga. De acordo com a Polícia Militar de GO, "eles agiam com extrema violência", usavam veículos roubados e armas de fogo para abordar os  motoristas de caminhões nas rodovias. Também carregavam os bloqueadores de sinal, para impedir o rastreamento da carga. Os suspeitos matinham os motoristas em cativeiro, sob ameaça, e só os liberavam após a mercadoria chegar ao galpão em Ceilândia, onde era guardada. 
 
A quadrilha tinha como base uma residência em Águas Lindas (GO), distante cerca de 50 km de Brasília. E segundo a PM de Goiás investigação começou na cidade de Anápolis (GO) e suspeita é a de que a quadrilha agia há um ano na região do Entorno e no Distrito Federal. "Tanto a residência, em Águas Lindas, quanto o galpão em Ceilândia, onde o carga foi encontrada, tinha bloqueador de sinal para que as mercadorias não fossem rastreadas pela seguradora", explica o capitão Edinailton Souza. 

Seis carretas serão necessárias para transportar as mercadoria apreendidas, que incluíam gêneros alimentícios (enlatados em geral, óleo de soja), produtos de limpeza (detergente, entre outros) e bebidas alcoólicas e não-alcoólicas (cerveja, vinho, uísque, refrigerante). A seguradora já está em Ceilândia para transportar a carga. A polícia ainda não informou em quanto está avaliada a carga. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade