Publicidade

Correio Braziliense

Criminalidade aumenta na Estrutural após Lixão ser fechado, observa PCDF

Cresceram especialmente os assaltos em ônibus, aponta o delegado Rodrigo Bonach, chefe da 8ª DP (SIA). Investigação levou à apreensão de cinco adolescentes na segunda-feira


postado em 12/06/2018 18:06 / atualizado em 12/06/2018 18:07

A polícia observou um aumento nos assaltos em ônibus nos últimos meses na Estrutural(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A polícia observou um aumento nos assaltos em ônibus nos últimos meses na Estrutural (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
 
A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) notou um aumento da criminalidade na Cidade Estrutural depois do fechamento do Lixão, há quase cinco meses. Segundo o delegado Rodrigo Bonach, chefe da 8ª DP (SIA), cresceram sobretudo os roubos, especialmente os assaltos em ônibus, grande parte deles cometida por adolescentes.

"Percebemos um acréscimo no número de roubos. Muitos ônibus foram assaltados nesta região e, por isso, começamos a identificar os autores desses delitos na região. Após um tempo de estudo, levantamos que a maioria se trata de menores infratores", afirma Bonach.

A Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social (SSP) ainda não divulgou os dados de crimes cometidos na Estrutural nos últimos três meses, mas os números referentes a janeiro e fevereiro corroboram o que o delegado diz ter observado. 

Em janeiro deste ano, quando o Lixão foi fechado, houve na região 79 roubos e furtos em veículo. Em fevereiro, o total subiu para 89. Em relação a 2017, houve aumento também: nos dois primeiros meses de 2017, foram registradas 58 e 50 ocorrências do tipo, respectivamente. O crescimento entre um bimestre e outro, portanto, foi de 55%.

Com relação a roubos em ônibus, o cenário se repete. Em janeiro deste ano, foram 11; no mês seguinte, 21, totalizando 32. Com relação aos dois primeiros meses de 2017, o crescimento é muito significativo, quando houve roubos em ônibus no primeiro bimestre, um aumento de 235%. 


Apreensões

Diante da situação, a Polícia Civil intensificou a busca pelos autores desses crimes, conseguindo identificar alguns deles. A investigação levou à apreensão, na segunda-feira (11/6), de cinco adolescentes, um de 18 e os demais de 17 anos, após a expedição de mandados de busca e apreensão.

De acordo com o delegado Bonach, um dos menores tem vários registros por ameaça e desacato, furto de cabos de energia, roubo de veículo, roubos a pedestres, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. A lista de atos infracionais do grupo incluem ainda furto a residência e a comércio, tentativas de homicídio, incêndio, lesão corporal e receptação. 

Segundo as apurações, os suspeitos não cometeram os delitos em conjunto, mas agiam individualmente nas mesmas áreas, sendo a mais visada o Setor de Chácaras Santa Luzia. "São jovens violentos, que estão no mundo do crime há algum tempo. Por isso, o principal objetivo foi inibir esse tipo de ação na cidade", salienta o delegado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade