Publicidade

Correio Braziliense

MPDFT usará drones para monitoramento de áreas ocupadas irregularmente

Trabalhos de fiscalização ficarão sob responsabilidade do Núcleo de Geoprocessamento e devem auxiliar na prevenção de crimes ambientais


postado em 13/06/2018 22:39 / atualizado em 13/06/2018 22:39



O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) começa, nesta quinta-feira (14/6), a empregar drones para a fiscalização de áreas irregularmente ocupadas. O Núcleo de Geoprocessamento do órgão contará com profissionais que trabalharão com análises periciais nos setores ambiental, urbanístico e de patrimônio público com o objetivo de combater crimes ambientais e a tomada de áreas públicas sem autorização do governo.

O Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (CFDD) do Ministério da Justiça destinou R$ 350 mil para a criação do departamento. Em Brasília, esse tipo de trabalho auxiliou em ações anteriores, como a desocupação da Área de Preservação Permanente (APP) da Orla do Lago Paranoá. Além do MPDFT, o Ministério Público de Minas Gerais usou instrumentos similares para acompanhamento dos danos provocados pelo rompimento da barragem de Fundão (MG), em 2015. 

Com o uso da ferramenta, será possível, por exemplo, fotografar áreas em que fiscais não têm acesso. A expectativa é de que a compra dos equipamentos amplie espaços de monitoramento, agilize a obtenção de dados e dê mais segurança à emissão de laudos. 
 
Com informações do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade