Publicidade

Correio Braziliense

Em clima de Copa, mostra no Venâncio Shopping tem objetos e vestes russas

Mostra no Venâncio Shopping reúne objetos e vestimentas utilizadas em celebrações religiosas do país-sede da Copa do Mundo. Exposição que teve a colaboração da Igreja Ortodoxa Russa do Patriarcado de Moscou, no Lago Sul, fica em cartaz até 30 de junho e tem entrada gratuita


postado em 14/06/2018 06:00 / atualizado em 14/06/2018 07:53

Montagem teve a colaboração da Igreja Ortodoxa Russa do Patriarcado de Moscou, no Lago Sul (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press )
Montagem teve a colaboração da Igreja Ortodoxa Russa do Patriarcado de Moscou, no Lago Sul (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press )

 

A cada quatro anos, os apaixonados por futebol voltam as atenções para o Mundial de Futebol. A vontade mesmo, da maioria, era estar lá na Rússia, acompanhando de perto a Seleção Brasileira e aproveitando para conhecer um país rico, histórico e singular. Mesmo ficando por aqui, a emoção é garantida com os amigos e a família ao redor da televisão. E para tornar essa experiência ainda mais forte para os que ficam, uma exposição, no Venâncio Shopping,apresenta um pouco da cultura e religião do país-sede do Mundial. A exposição fica em cartaz até 30 de junho e é de graça.

Os painéis com os estádios do país do leste europeu chamaram a atenção do menino curioso e apaixonado por futebol Rafael de Barros, 9 anos. “Eu sou o goleiro do meu time e nessa hora eu queria estar na Rússia, vendo a Copa. Mas achei legal isso (exposição). Dá para gente conhecer a cultura de outros países assim”, avaliou.

Pelos corredores e no espaço cultural do shopping, a Mostra Especial Russa reúne fotografias e painéis de pontos turísticos e imagens dos principais estádios que vão sediar os jogos do Mundial de Futebol. Há também objetos e utensílios, como louças e porcelanas, talheres e as famosas matrioscas — bonecas coloridas feitas em madeira e colocadas umas dentro das outras, da maior até a menor.

A exposição teve a colaboração da Igreja Ortodoxa Russa do Patriarcado de Moscou, no Lago Sul, que cedeu objetos e vestimentas, utilizados durante a celebração religiosa. A mostra ainda destaca pinturas no estilo bizantino, com ícones sagrados da Igreja Ortodoxa, como a Virgem de Kazan e a Virgem Maria do Caminho.

A oportunidade de conhecer outro país por meio da arte é o que mais chamou a atenção da visitante Ramila Moura, 25. “Somos uma população que, em sua maioria, não tem a oportunidade de visitar outros países. Eu mesma nunca saí do Brasil. É uma maneira de conhecer a cultura e a religião, a diversidade dos povos, culturas e artes”, opinou.


Ramila Moura elogia a iniciativa que dá oportunidade de conhecer outra cultura (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Ramila Moura elogia a iniciativa que dá oportunidade de conhecer outra cultura (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)

Viagens garantidas

Apesar de serem poucos os privilegiados que puderam viajar para a Rússia e acompanhar o desempenho do jogador e seus companheiros em campo, os torcedores do país ocupam o terceiro lugar na aquisição de vagas nos estádios. Dos mais de 2 milhões de ingressos vendidos até o momento, 72,5 mil foram comprados por brasileiros. Fica atrás apenas dos russos, com 871 mil entradas adquiridas, e dos americanos, que arremataram 88,8 mil. Entre tantos entusiastas em partir para o país do leste europeu, não poderiam faltar brasilienses.

O casal de servidores públicos Adriana Maia, 39 anos, e César Dutra, 38, já chegou à Rússia. Na segunda-feira, os dois desembarcaram em Moscou. Para acompanhar a Seleção, eles começaram os preparativos em outubro do ano passado. Antes do sorteio dos ingressos, Adriana analisou o roteiro que cada cabeçade chave faria no torneio. “O Brasil era um dos definidos, então, fiz reservas em hotéis de todos os locais por onde os nossos jogadores poderiam passar. Depois da definição dos grupos, cancelei as reservas que não serviriam para mim. Dei a sorte de o Brasil ficar em um grupo muito bom, pois o time fará partidas em São Petersburgo e Moscou, duas cidades que são visita obrigatória para turistas”, avaliou. Adriana e César gastaram cerca de R$ 25 mil entre passagens, hospedagem, aluguel de carro e as entradas para os estádios.

Os engenheiros mecânicos Marcos Coto, 36, e Thiago Valente, 32, embarcam para a Europa apenas em 3 de julho. No entanto, os dois estão em clima de Copa. “Compramos máscaras, perucas, bandeiras, chapéus, apitos e camisetas. Chegaremos {a Rússia da melhor maneira possível”, garantiu Marcos. Ao lado de mais três amigos, eles têm ingressos para as quartas de final, semifinais e a disputa de terceiro e quarto lugares. “Está sendo difícil comprar bilhetes para a decisão, mas como somos brasileiros, não desistimos nunca. Vamos continuar procurando”, brincou.

Analista de desempenho da Sociedade Esportiva do Gama, Davih Rodrigues, 28, também acompanhará a Copa de perto. Ele viajou sozinho e fica na Rússia até 4 de julho. O rapaz conseguiu ingressos para as partidas do Brasil contra Suíça e Costa Rica. Apesar de não ficar até o fim do Mundial, ele acredita que será um momento único. “Como trabalho com o esporte, para mim, a Copa será a chance de ver o futebol no seu ápice. Os melhores jogadores correndo atrás do título mais importante. Vou tentar aproveitar o clima do torneio, ir às festas e aos bares que transmitirem os outros jogos. Será fantástico”, acredita.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade