Publicidade

Correio Braziliense

Centro Integrado de Operações permitirá trabalho conjunto de 22 órgãos

Objetivo é criar ações conjuntas entre os principais serviços públicos de saúde, mobilidade, fiscalização e segurança


postado em 05/07/2018 19:05 / atualizado em 05/07/2018 19:06

(foto: Andre Borges/Agência Brasília)
(foto: Andre Borges/Agência Brasília)
O governador Rodrigo Rollemberg assinou, nesta quinta-feira (5/7), decreto que cria o Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob). O local, situado na Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP-DF), começa, a partir de hoje, a criar ações conjuntas entre os principais serviços públicos de saúde, mobilidade, fiscalização e segurança, para modernizar e otimizar os atendimentos à população.
 
Rollemberg afirmou que essa aproximação dos órgãos é essencial para o desenvolvimento da capital: "Aqui, nós estamos unindo um tripé de inteligência, tecnologia e informação. Isso é fundamental para uma cidade e uma segurança pública modernas, que se fazem também com a colaboração das diversas áreas. É isso que garante melhores indicadores. Fazer essa integração contribui bastante", disse. 
 
Lembrando da queda da taxa de homicídios em Brasília, o governador citou ainda os trabalhos de monitoramento das 600 câmeras do DF, que serão ampliadas para 2,2 mil com a ajuda dos sistemas de filmagem privados, e servem de auxílio para o Ciob operar. Um grande painel eletrônico de televisores instalado no local é o responsável por essas ações, que serão orquestradas em conjunto entre os órgãos acionados a cada demanda da população. 
 
"Esse sistema deixou de ser um sistema de segurança pública para ser sistema de uma cidade inteligente. Vamos ter a oportunidade de ver de perto as desordens urbanas e como agir rapidamente para conter ou evitar. Se tiver um acidente de trânsito, por exemplo, podemos atender rapidamente àquelas vítimas e liberar o trânsito", finalizou Rollemberg.

Entenda como vai funcionar
 

Um simples acidente de trânsito já mobiliza vários órgãos: Detran, Polícia Militar, Bombeiros e até a CEB podem participar da mesma ação. Por isso, ações conjuntas entre eles podem deixar todo o processo mais ágil e eficaz, solucionando o problema de forma integrada. E é essa a palavra-chave do Centro Integrado de Operações de Brasília, que promete modernizar os serviços públicos com um trabalho que envolva cada instituição do projeto. 
 
Em uma grande sala com computadores para os representantes de cada órgão, é feita a comunicação entre eles de forma simultânea e organizada, por meio de um sistema tecnológico que permite o monitoramento das câmeras da cidade, a visualização com geolocalização de cada chamada a ser atendida e um cronograma dos grandes eventos de Brasília — para que também sejam pensadas ações futuras.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade