Publicidade

Correio Braziliense

Taxista perde controle de carro e destrói fachada de lojas em Ceilândia

Motorista teria sofrido mal súbito antes atingir as marquises dos estabelecimentos. Ele foi transportado para o hospital com escoriações pelo corpo. Ninguém mais se feriu


postado em 06/07/2018 21:28 / atualizado em 06/07/2018 23:16

Ver galeria . 4 Fotos PMDF/Divulgação
(foto: PMDF/Divulgação )
 
 
Um taxista de 71 anos ficou ferido após se envolver em um acidente na Quadra 18 da Expansão do Setor O, em Ceilândia. O carro de José Maria Magalhães atingiu dois comércios da região por volta das 17h30 desta sexta-feira (6/7). Ele foi atendido por militares do Corpo de Bombeiros e transportado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC) com escoriações pelo corpo e "potencialmente instável", segundo a corporação.

O veículo, um Cobalt prata, atingiu a frente de uma peixaria e de uma padaria. Com o impacto, a cobertura do primeiro estabelecimento afetado despencou e as grades do segundo ficaram amassadas. O proprietário da peixaria, Josimar Monteiro Botelho, 55 anos, além da dona da padaria, Cipriana Araújo, 42, e duas funcionárias do local estavam nas lojas no momento do acidente, mas ninguém se feriu além do condutor. 

Ela conta que nenhum dos dois comércios estava com clientes porque o jogo do Brasil contra a Bélgica tinha terminado havia pouco tempo. "Os bombeiros isolaram os dois locais. As pilastras caíram, então a estrutura da padaria pode desabar a qualquer momento. A peixaria foi atingida em cheio. Mas, na nossa loja, só uma pilastra sofreu com o impacto. A família do motorista ficou de acionar o seguro para cobrir os danos", afirma Cipriana.

De acordo com informações dos bombeiros e da Polícia Militar, a suspeita é de que o motorista tenha sofrido um mal súbito antes de colidir contra as marquises. A polícia não confirmou se José Maria estaria alcoolizado ou não. O policial que atendeu a ocorrência esteve no HRC para fazer o teste do bafômetro com o taxista. No entanto, momentos antes, a família do motorista havia transferido o paciente para o Hospital São Francisco, na mesma região. Desta forma, a polícia não conseguiu conferir se o condutor teria ingerido álcool antes de assumir a direção. Segundo testemunhas, é possível que o taxista tenha sido vítima de um infarto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade