Publicidade

Correio Braziliense

Falta de chuva aumenta massa de ar seco; máxima hoje será de 29°C

Umidade relativa do ar cai ainda mais, variando entre 90% a 20%


postado em 13/07/2018 06:43 / atualizado em 13/07/2018 09:04

 

Vista do céu de Brasília em frente ao Memorial JK: seca, frio e calor castigam brasilienses(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
Vista do céu de Brasília em frente ao Memorial JK: seca, frio e calor castigam brasilienses (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )

Há 55 dias sem chuvas, o Distrito Federal enfrenta a seca neste inverno com níveis muito baixos de umidade relativa do ar. Apesar das temperaturas máximas não serem muito altas, a massa de ar seco provoca esse tempo. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), esta sexta-feira (13/7) será um exemplo disso: a umidade varia entre 90% a 20% - nível mais baixo da semana.

 

A temperatura mínima registrada na madrugada foi de 10°C. Nas horas mais quentes do dia, os termômetros não devem ultrapassar os 29°C.

 

Essa massa de ar seco é explicada pelo meteorologista Mamedes Luiz Mello: "Quando não vai chovendo, ela vai se intensificando. Um exemplo é pensarmos que ela comece, por exemplo, em cima do DF, mas vai expandindo ao Entorno, chegando a Goiânia e continua se expandindo. Ela prevalece neste período de inverno."

 

O tempo seco hoje pode castigar mais do que nos outros dias da semana, quando a umidade mais baixa em Brasília foi de 25%. Mas se por um lado é preciso tomar mais cuidados com a saúde nesse clima, por outro é possível aproveitar os dias sem chuva para sair de casa e curtir a cidade.

 

Saúde

Durante o inverno do DF o corpo também sente a falta da umidade. A pele e o campo respiratório, principalmente, são afetados pelo tempo seco, trazendo uma necessidade de estar sempre se hidratando, usando cremes que evitem o ressecamento e se protegendo das proliferações de doenças, comuns em locais fechados - como os ônibus ou escritórios onde nos protegemos do frio do começo da manhã com janelas fechadas. O ideal é estar sempre usando o álcool em gel para higiene das mãos, além de evitar banhos muito quentes. Otite, conjuntivite, pneumonia e sinusite são algumas das doenças comuns nesse clima de julho em Brasília. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade