Publicidade

Correio Braziliense

Mulher é morta com cinco facadas, em Santa Maria; polícia investiga o caso

Janaína Romão Lúcio foi atacada no Condomínio Porto Rico. Familiares da vítima disseram à Polícia Militar que o crime foi praticado pelo homem com quem a mulher teve duas filhas


postado em 15/07/2018 13:24 / atualizado em 15/07/2018 20:25

(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
Mais uma mulher foi brutalmente assassinada no Distrito Federal, neste fim de semana. Janaína Romão Lúcio, 30 anos, recebeu cinco facadas e chegou a ser socorrida com vida. O principal suspeito é o ex-companheiro dela, Stefanno Jesus Souza de Amorim, 21 anos. O casal tem duas filhas. 
 
O crime, tratado como feminicídio, ocorreu no Condomínio Porto Rico, em Santa Maria, quando ela foi buscar as filhas na casa do ex-companheiro, por volta das 18h de sábado (14/7). Um familiar informou à polícia ter encontrado Janaína e Stefanno discutindo por conta de ciúmes. Gravemente ferida, a vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital Regional de Santa Maria, onde morreu duas horas depois. 
 
Janaína Romão foi socorrida, mas morreu no hospital(foto: Reprodução/ Facebook)
Janaína Romão foi socorrida, mas morreu no hospital (foto: Reprodução/ Facebook)
 

Janaína trabalhava na Secretaria Nacional de Cidadania, do Ministério dos Direitos Humanos. Em sua descrição pessoal no Facebook, ela usava frases de efeito, geralmente positivas: "Se for pra ser, será. Se tá demorando, é porque o melhor ainda está por vir". Na mesma rede social, em 30 de junho, Stefanno postou um comentário em tom de ameaça: "Ae jana vc fica nessa dai evita minhas filhas de mim sabe q isso da ruim" (sic).  
 
Após esfaquear Janaína, Stefanno saiu correndo, sem camisa e descalço. A faca utilizada no crime ficou no lote. A 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria) investiga o caso. Até a última atualização desta reportagem, ele não havia sido preso.  

Nota de pesar


O Ministério dos Direitos Humanos divulgou nota de pesar, em nome do ministro, Gustavo Rocha, e manifestou repúdio aos crimes praticados contra as mulheres. "O ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, lamenta profundamente o falecimento de Janaína Romão Lúcio, colaboradora da Secretaria Nacional de Cidadania. Em nome de todo o Ministério, compartilha do luto e manifesta sua solidariedade aos familiares e colegas de trabalho", descreve o texto.
 
"A polícia investiga a hipótese de feminicídio. O Ministro repudia com veemência a violência contra as mulheres e reforça a gravidade desta situação. O Ministério está em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal para acompanhar de perto as investigações do assassinato de Janaína", finaliza a nota.
 
O velório de Janaína está marcado para segunda-feira (16/7), às 12h, na capela 3 do Cemitério do Gama. O sepultamento, previsto para as 15h30.  

Feminicídio

Os números de violência contra mulher e feminicídios no Distrito Federal aumentaram de janeiro a março de 2018 em comparação com o mesmo período de 2017. Os episódios de violência passaram de 3.432 ocorrências para 3.789.  As mais frequentes foram violência psicológica, agressões físicas e violência patrimonial. 
 
Colaborou Mariana Machado 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade